| Futebol

Luxa fala em covardia contra Mattheus: "Sempre há o bode expiatório"

Técnico diz que Amaral seria o vilão caso entrasse em campo contra o Atlético-MG: "Se tem um responsável, fui eu, que escalei. Não me arrependo de tê-lo escalado"

Luxemburgo, coletiva, Ninho do Urubu (Foto: Sofia Miranda*)Luxemburgo concede coletiva nesta sexta (Foto: Sofia Miranda*)

O técnico Vanderlei Luxemburgo falou pela segunda vez com a imprensa após a eliminação rubro-negra na Copa do Brasil. Na tarde de quinta-feira, a delegação rubro-negra desembarcou no Aeroporto Santos Dumont, e o treinador foi criticado por alguns torcedores pelas substituições feitas durante a partida no Mineirão - principalmente pela entrada de Mattheus. Nesta sexta-feira, a equipe retornou às atividades no Ninho do Urubu, visando ao jogo com o Sport, domingo, na Arena Pernambuco, pelo Campeonato Brasileiro. O comandante disse ser uma grande covardia tachar o filho de Bebeto como o vilão da derrota.

- Não é nenhuma surpresa para mim, dentro do imediatismo do futebol brasileiro. Se eu tivesse colocado o Amaral e perdêssemos, seria o Amaral o alvo. Sempre tem o bode expiatório. Acho uma covardia muito grande com um menino que pode se tornar um grande jogador. Se tem um responsável, fui eu, que escalei. Não me arrependo de ter escalado naquele momento, de ter dado oportunidade a ele. Acho uma covardia muito grande colocar o Mattheus como grande vilão dessa derrota. O culpado vai ser sempre alguém.

saiba mais
  • Alvo da torcida, Mattheus promete comer "pão com raiva" por redenção

    Rubro-Negro retorna aos treinos, e Léo Moura, Gabriel e Eduardo não viajam

Luxa ainda se disse triste pela derrota, mas tratou o resultado como algo natural dentro do futebol.

- A vida continua. Você sabe que pode ganhar ou perder. Perdemos, e hoje voltamos ao trabalho pensando no jogo de domingo. Seis jogos para completar uma vitória e sair totalmente da confusão. Não estou feliz. Triste pela derrota, mas com a consciência de que ela podia acontecer.

A atuação do Galo no confronto realizado no Mineirão foi ressaltada por Luxemburgo. O técnico afirmou que a eficiência do Atlético foi incontestável e que está satisfeito com a trajetória do Flamengo na Copa do Brasil.

- Eu sabia que o Atlético Mineiro se entregaria ao jogo. Quando eles empataram, eu já preparei a cabeça pensando que precisaria de um jogador com uma bola boa na frente. O Mattheus é esse jogador, que pensa, que raciocina. O problema do futebol brasileiro é que queremos achar um culpado e esquecer a competência do adversário. O Atlético, além de jogar uma partida com muita eficiência, estava totalmente determinado a ir à final da competição. Não vamos culpar uma pessoa. Eu me sinto orgulhoso e satisfeito com o grupo que tenho. Se olharmos três meses atrás, esse grupo era execrado. Mas é um grupo com vontade incessante de superar as deficiências e limitações técnicas. Esse imediatismo é muito forte e, às vezes, maltratamos alguém por causa disso.

Mattheus flamengo  (Foto: Pedro Martins / AGIF)Treinador disse não se arrepender de ter colocado Mattheus no duelo com o Atlético-MG (Foto: Pedro Martins / AGIF)



Domingo, na Arena Pernambuco, contra o Sport, o Flamengo faz o primeiro dos seis jogos que restam para o término do Campeonato Brasileiro. Sem Léo Moura, Gabriel e Eduardo da Silva, ambos lesionados, Luxa disse que o time não terá grandes modificações.

- Não vamos mudar muito, não. Já vou pensar no time de domingo para depois termos uma semana limpa importante. Eu já conversei com os jogadores. O jogo será difícil domingo, porque ainda temos a derrota (para o Galo) dentro do corpo. Mas temos que ter uma capacidade grande de analisar a derrota e crescer.

A partida contra o Sport será realizada às 17 horas (de Brasília). O Rubro-Negro ocupa a 10ª colocação, com 43 pontos.

*Estagiária, sob a supervisão de Fred Gomes

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.