| Futebol

Luxemburgo afirma que título poderia mascarar a realidade do Flamengo

Apesar da frustração pela eliminação da Copa do Brasil, treinador diz que competição não pode servir como base de trabalho para a formação de um elenco

Luxemburgo, coletiva, Ninho do Urubu (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)Luxemburgo deu longa entrevista após o treino de sexta-feira, no Ninho do Urubu (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)

Conquistar títulos é o objetivo de qualquer equipe no futebol. E cada competição revela vertentes distintas dos times. O Flamengo deu algumas provas de que sua força aumenta em modelo "mata-mata". Na Copa do Brasil, o grupo que antes era desacreditado e penava para fugir da zona da degola no Campeonato Brasileiro, abraçou o estilo de Vanderlei Luxemburgo e chegou à semifinal do torneio. A maneira pela qual os rubro-negros foram eliminados - goleada por 4 a 1 para o Atlético-MG após obter grande vantagem no placar agregado - frustrou, e muito, os jogadores e a torcida. Luxa, porém, se disse satisfeito com o desempenho de seus comandados e afirmou que o campeonato não pode servir como base de trabalho para a formação de um elenco. A hipotética conquista do bicampeonato poderia fazer com que as limitações fossem esquecidas, o que, de forma até involuntária, seria prejudicial ao planejamento do clube para a próxima temporada.

- Há uma diferença muito grande entre Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. O Santo André foi campeão contra o Flamengo no Maracanã. O Paulista já foi campeão da Copa do Brasil. A discussão sobre o time não estaria nem em pauta se a bola do Canteros tivesse entrado. O Flamengo poderia até ser campeão, mas você não pode achar que a Copa do Brasil sirva de base do teu trabalho para a formação do elenco. Poderíamos ser campeões, mas isso não quer dizer que foi um planejamento bem feito. Mesmo se ganhássemos, não seríamos melhores do que o Atlético. Agora, o Campeonato Brasileiro se afere por qualidade, por elenco, para saber quem é o melhor. Nesse campeonato, o negócio do Flamengo era não cair, com um elenco que não era de técnica. Existe o planejamento para o ano que vem, para que o Flamengo dispute da quinta colocação para cima. Essa preocupação existe - afirmou Luxemburgo.

Para a torcida, a reta final do Flamengo na temporada já não tem grandes emoções. O técnico disse que a motivação para os seis jogos que restam é completar - mesmo que os rubro-negros já tenham a certeza de que vão permanecer na Primeira Divisão - a missão que lhe foi imposta: tirar qualquer tipo de risco de rebaixamento para a Série B.

- O que eu tenho que fazer? Ganhar. Se ganhássemos os seis jogos, 18 pontos, seria um milagre (risos). Meu pensamento hoje é cumprir a missão para que fui contratado. Tirar o Flamengo dessa possibilidade de rebaixamento e zona da confusão. Esse é o compromisso que temos. Acabou isso? Aí pensaremos no ano que vem.

O primeiro jogo do Flamengo dos seis que restam para o fim do Brasileirão será realizado domingo, na Arena Pernambuco. O adversário é o Sport, e a partida será disputada às 17 horas (de Brasília). Décimo colocado, o Fla tem 43 pontos, nove a mais do que o primeiro da zona de rebaixamento, Coritiba.

*Estagiária, sob a supervisão de Fred Gomes

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.