| Futebol

Mãe de Eduardo da Silva vibra com acerto: "Estou dando pulos de alegria"

Dona Joelma, rubro-negra desde o berço, celebra possibilidade ver algo que poderia ter acontecido em 1999

Eduardo, Joelma e Bruno juntos (Foto: Arquivo pessoal)Bruno, Joelma e Eduardo juntos aqui no Brasil (Foto: Arquivo pessoal)

O atacante Eduardo da Silva poderia ter realizado o sonho de sua mãe, Joelma, em 1999. Na ocasião, aprovado para participar da peneira do Flamengo, optou por aceitar o convite de ir morar na Croácia. A aposta deu certo. Lá, consagrou-se e até defendeu a seleção do país. Quinze anos depois, o desejo da rubro-negra está perto de se realizar. Faz exames nesta quinta-feira e, se for aprovado, assina contrato. E a paixão pelo Vasco de infância, compartilhada por pai (Luiz) e irmão (Bruno), ficará arquivada. Pelo menos é o que garante a maior fã do atleta de 31 anos.

- É muita felicidade, muita alegria. Estou dando pulos de alegria, agora todo mundo virou Flamengo. Eles eram Vasco, mas não têm mais time, não. Principalmente o Eduardo, que é profissional. Esquecer (o Vasco) ele não vai esquecer, mas vai deixar na gavetinha, guardado no cantinho. Agora vamos curtir o Mengão! - sentenciou Joelma.

A alegria por ver o filho virar rubro-negro é imensa, contudo mais especial é, enfim, poder ter o filho por perto depois de tanto tempo na Europa, onde Eduardo também passou por Inglaterra e Ucrânia.

- É muito gratificante. Aquele elo que quebrou da corrente está emendando agora. Vou curtir, ver os jogos. Enfim, vou caminhar junto com ele. Fiquei triste quando ele preferiu viajar para fora depois do teste no Flamengo, mas também fiquei feliz, ele se realizou como jogador de futebol. Vejo o Eduardo sendo muito feliz pelo Flamengo, o vejo sendo campeão - completou.

Também empolgado com o retorno de Eduardo para o Brasil está o irmão do jogador. Viu seu melhor amigo partir para o maior desafio da vida quando tinha apenas 9 anos de idade, certamente um hiato no coração do então pequeno Bruno.

Fiquei triste quando ele preferiu viajar para fora depois do teste no Flamengo, mas também fiquei feliz, ele se realizou como jogador de futebol"
Joelma

- Completaria 15 anos (de Eduardo fora do país) em setembro. A gente tinha contato diário antes de ele viajar. Acordava do lado dele, ia para escola com ele, almoçava com ele e brincava com ele. De repente você vê partindo a pessoa que brincava contigo e já não tem com quem brincar mais, até porque na periferia é difícil sair para a rua e ter brincadeiras sadias. Graças a Deus, ele retornando realiza o sonho de ter meu irmão ao lado, mata essa falta que eu sentia. A ficha de ele ser jogador de futebol não caiu para mim até hoje, vai cair quando eu ver a camisa de um grande clube brasileiro - afirmou Bruno, morador de Vila Kennedy.

Bruno vira vascaíno por influência de Eduardo
 

Eduardo da Silva Camisa vasco (Foto: Divulgação / Site Oficial do Vasco)O Vasco é o clube de coração de Eduardo (Foto: Divulgação / Site Oficial do Vasco)

Bruno, também vascaíno quando pequeno como Eduardo, disse que torceu pelo Flamengo pela primeira vez nesta quarta-feira, contra o Atlético-PR. O irmão famoso, sete anos mais velho, foi um dos que mais influenciaram na escolha do caçula pelo Gigante da Colina.

- Eu nasci brasileiro, mas cresci Vasco por causa do meu pai e do meu irmão. Eles que botaram pilha. Minha mãe é dividida. Ela fala que é Fla-Vas. Agora estou saindo para uma reunião com amigos para torcer pela primeira vez na minha vida para o Flamengo - afirmou, momentos antes de o Rubro-Negro perder por 2 a 1 para o Atlético-PR.

Apesar do coração cruz-maltino, o irmão do mais novo rubro-negro está muito satisfeito por vê-lo de volta ao futebol brasileiro, onde Eduardo jamais atuou profissionalmente.

- Ouvi que tem reportagens (sobre o acerto de Eduardo com o Fla), mas ainda não vi nada, não. Estou há dois dias sem mexer internet. Para mim, é uma felicidade, independentemente do clube em que esteja, o que importa é a felicidade do meu irmão e o que vem de dentro. É uma felicidade ele poder jogar em um clube com torcida imensa, como são os casos de Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense - encerrou.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.