Mais visado, Vinicius Junior conta com orientação do Flamengo e psicológico forte; agente cogita queixa por injúria racial

Mais visado, Vinicius Junior conta com orientação do Flamengo e psicológico forte; agente cogita queixa por injúria racial

Artilheiro da equipe com quatro gols, Vinicius Junior é o assunto do Flamengo no Estadual por essa e outras razões. Visado depois de uma comemoração em provocação ao Botafogo e uma expulsão no reencontro com o rival, sábado, o jovem de 17 anos virou personagem central do time, apesar dos poucos minutos em campo. São oito jogos, mas tempo correspondente a pouco mais de quatro partidas em 2018. A cobrança por maior utilização da joia, já vendida ao Real Madrid, tem tornado os momentos intensos e demandado cautela do clube e do jogador.

No Flamengo, o entendimento é que Vinicius ficou marcado pela provocação. Após entrar em campo e ser intimidado, a entrada de carrinho e o cartão vermelho ligaram o alerta. O EXTRA apurou que dirigentes conversaram com o atacante e reforçaram a atenção redobrada para que Vinicius não seja perseguido nas partidas, por arbitragem e adversários. O clube conta com o trabalho de controle mental desenvolvido no projeto Pratas do Ninho. O jogador causou boa impressão na equipe da psicologia.

Entre o staff que cuida da carreira do garoto, a ideia é que não há qualquer necessidade de orientação maior nesse sentido depois da expulsão ou da comemoração. Fred Penna, empresário de Vinicius Junior, afirmou apenas que o atleta ficou mais visado no clássico com o Botafogo por conta da provocação. Mas que o atacante repete o gesto desde as primeiras categorias de base do Flamengo.

— O chororô ele fez a vida inteira, não para provocar. Ele faz desde o infantil. Sempre comemorou assim contra o Botafogo. Eles vestiram a carapuça. Ele já tinha sido agredido logo que entrou em campo — pontuou Fred Penna.

— Não acho que precise de nenhum suporte psicológico. É uma situação de jogo. Ele não está imaturo. A meu ver sem necessidade de ser preservado. Ele não tem nenhum problema. Ele escorregou e foi expulso — acrescentou.

Os xingamentos proferidos por torcedores a Vinicius depois da expulsão fizeram o Flamengo e os representantes do atleta avaliarem prestar queixa na polícia por injúria racial. O clube colocou o departamento jurídico à disposição, mas os empresários ainda vão conversar com a família.

— Está na pauta da conversa, mas nem quente nem frio. Ainda vamos falar com o atleta e a família — disse Penna, sem descartar uma ação do gênero.

O procurador do Tribunal de Justiça Desportiva define hoje se vai oferecer denúncia por injúria racial após xingamentos a Vinicius Junior. O Botafogo pode sofrer a perda de mando de campo pelo artigo 243-G. No treino de ontem, o atacante fez um golaço e demonstrou que não está preocupado com tamanha pressão e holofotes.