| Futebol

Marcado pelo minuto e pela camisa, Petkovic faz 43 anos

Ídolo rubro-negro, sérvio faz aniversário nesta quinta-feira e completa idade simbólica

Pet completa 43 anos nesta quinta-feira

Pet completa 43 anos nesta quinta-feira

Quarenta e três. Um número que, para a maioria dos times, não significa muito. Mas não para o Flamengo. Para o Rubro-Negro, o 43 é um número simbólico por causa de um craque sérvio: Dejan Petkovic. E, nesta quinta-feira (10.09), o ex-jogador completa 43 anos de idade.

Em uma tendência que se repete há muitas décadas, é comum ver jogadores brasileiros saindo de sua terra natal e indo jogar em países europeus. Mas na história do sérvio Dejan Petkovic, a lógica se inverteu. À época no Real Madrid, Pet veio contratado pelo Vitória-BA, por empréstimo, em 1997. Suas boas atuações chamaram a atenção do Flamengo, que o contratou em definitivo em 2000. E ali começava uma história de identificação mútua.

Em sua primeira passagem, o craque vestia a camisa 10 e foi um dos grandes jogadores rubro-negros a envergar o número de Zico. Logo em sua primeira temporada, foi campeão carioca. E, no ano seguinte, uma lembrança única. O Flamengo precisava se recuperar de um placar adverso para vencer o segundo título estadual em seguida. Ainda precisava de um gol até os 43 minutos do segundo tempo, quando Petkovic cobrou uma das faltas mais inesquecíveis do futebol. E marcou o gol - uma pintura - que deu o título ao Mais Querido. Depois de conquistar também a Copa dos Campeões, ainda em 2001, o meia deixou o Flamengo na temporada seguinte.

Anos depois, a história continuaria. Depois de passagens por vários clubes do Brasil, como Goiás, Santos e Atlético-MG, Pet voltou ao Flamengo em 2009. Aos 37 anos de idade, poucos acreditavam que o sérvio ainda poderia contribuir para o elenco do Rubro-Negro. E estes poucos não poderiam estar mais certos.

No retorno à Gávea, Petkovic escolheu a camisa 43, em homenagem ao gol marcado em 2001. Em campo, virou titular absoluto e, com experiência e muita categoria, comandou o Flamengo rumo ao hexacampeonato brasileiro. Foi dos pés dele que saiu o escanteio que resultaria no gol do título, de Ronaldo Angelim, contra o Grêmio, lance que foi eternizado em canção da torcida rubro-negra nas arquibancadas.

Em 2011, encerrou a carreira de jogador usando o Manto Sagrado e recebendo as homenagens da Maior Torcida do Mundo, que ainda lembra de Pet com muito carinho. Hoje, o sérvio é técnico e comanda a equipe do Criciúma.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/22102/marcado-pelo-minuto-e-pela-camisa-petkovic-faz-43-anos

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.