• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

Marcos Vinicius: “A Covid-19 vai passar. E Landim também não ficará no Flamengo para sempre”

O funcionário do Flamengo Matheus Grangeiro, responsável pelas publicações em mídias sociais do clube, e que clicou e postou uma foto de jogadores sem máscaras dentro do avião na volta do Equador, na madrugada de quarta-feira (23/09), foi covardemente demitido.

 

Em 10 anos de futebol e 26 de vida, nunca fizeram algo tão covarde comigo como o que aconteceu nesta sexta-feira. Apenas agradecer ao CRF pela oportunidade. Sempre busquei fazer o melhor e saio com a cabeça erguida como sempre. Obrigado!”, disse em seu Instagram.

O episódio expõe, mais uma vez, erros do presidente Rodolfo Landim para lidar com seres humanos.

O rapaz não foi demitido pela eventual quebra de protocolo do Covid-19 ou algo parecido.

Não, não foi!

E sim porque o mandatário rubro-negro sentiu a repercussão negativa de sua própria entrevista no Redação SporTV, na manhã de sexta-feira, 25, dois dias após a publicação da foto.

No programa, disse a seguinte frase: “Não tiro foto com máscara: tiro a máscara e prendo a respiração“.

Pronto.

Bastou a declaração reverberar negativamente e viralizar nas redes sociais, que o dirigente decidiu pela demissão do funcionário.

Fez o ditado popular ‘a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco‘, voltar à tona.

E olha que o dirigente tentou amenizar a situação: “Sim, estavam todos testados. É óbvio que na hora que você vai tirar uma foto, você não tira foto com máscara. Vamos relevar aí. Os jogadores jogam sem máscara, é difícil de conter, é coisa natural. Os jogadores se cumprimentam, se abraçam“, disse de forma dissimulada ao canal.

Horas depois, informou ao responsável pelo registro fotográfico que era para ele passar no RH do clube.

Acreditam?

Essa não é a primeira vez que o Landim tenta passar uma imagem às câmeras, mas age de forma contrária por trás delas.

Foi assim meses depois daquele fatídico 08 de fevereiro de 2019, maior tragédia da história do clube, no Ninho do Urubu.

Na ocasião, mandou embora cinco dos dezesseis garotos sobreviventes do incêndio e alegou deficiência técnica dos meninos.

Em janeiro deste ano, demitiu Paulo Pelaipe, então coordenador de futebol à época, que gozava de suas férias e foi surpreendido com a notícia por e-mail.

Sim, demitido por e-mail.

E é assim sobre esse jogo entre Palmeiras x Flamengo, que acabou acontecendo e no qual ele lutou nos bastidores com unhas e dentes para seu cancelamento.

Porém, incrivelmente, ao mesmo tempo em que é favorável ao cancelamento do jogo é a favor da liberação do público nos estádios, como fez em maio desse ano indo a Brasília falar com Jair Bolsonaro, em companhia de Alexandre Campelo, presidente do Vasco.

Ou seja, segundo o presidente, uma das principais fontes de receitas do Flamengo que é a sua torcida, tem que voltar a frequentar os estádios, mesmo com os riscos de contaminação pela Covid-19.

Convenhamos, contraditório.

É muito amor pelo Flamengo, para continuar torcendo pelo clube com um presidente que tem atitudes contraditórias

O coronavírus vai passar, um dia estaremos livres dessa preocupação. E tenham certeza que o senhor Luiz Rodolfo Landim Machado, preocupação para o nosso Flamengo, também não comandará o time para sempre.

Por: Marcos Vinicius
Twitter: @ViniciusCharges

Aqui, expresso minha opinião, e você leitor, tem todo o direito de discordar. Comente, critique sem ofender ou elogie se merecer, mas não deixe de participar.

Publicado em colunadofla.com.