| Futebol

Memorial rubro-negro: perdas de 2015

Nação se despede de Carlinhos, Sú, Marcos Lima, Kita e Henágio

Lucio Flávio: associado e diretor-geral da Bradesc

Lucio Flávio: associado e diretor-geral da Bradesc

Nenhuma tristeza em 2015 é comparável a da perda de ídolos e colaboradores do clube. Este ano, a Nação Rubro-Negra teve que dizer adeus para alguns deles, apenas com a certeza de que continuam presentes na galeria de pessoas que ajudaram o Mais Querido do Mundo a ser o que é.
 
No dia 22 de junho, o Flamengo se despediu de Luiz Carlos Nunes da Silva, o Carlinhos Violino, um dos maiores ídolos da história rubro-negra. Vítima de insuficiência cardíaca, ele morreu aos 77 anos. Um dos grandes craques e treinadores do clube, Violino recebeu o apelido pela elegância e precisão em campo, quando jogava como volante, mas a alcunha também poderia se aplicar à música que conduzia os times que comandou como técnico. 
 
Paulo Francisco Joazeiro Abreu, o "Sú", disputou os Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984 com apenas 17 anos pela seleção de polo aquático. Atleta Laureado do Mais Querido e dono de vários títulos estaduais e nacionais, ele também contribuiu na formação de novos atletas. Sú morreu em um domingo (26.07) aos 49 anos, por problemas cardíacos.
 
São muitos os profissionais que trabalham no dia a dia para garantir que o time conquiste as vitórias. Um destes profissionais era Marcos Lima, preparador físico do futebol profissional, responsável pela academia, reabilitação e prevenção de lesões do elenco. Campeão da Copa do Brasil em 2013 e Estadual em 2014, o profissional estava em tratamento contra o câncer desde o início deste ano, mas não resistiu à doença.
 
No dia 19 de dezembro, o futebol se despediu de José Roberto Francalacci, ex-preparador físico e treinador de futebol, falecido no Hospital Casa de Portugal. Ele trabalhou no clube durante a era Zico e sua atuação foi decisiva para a formação de muitas gerações de atletas, responsáveis por algumas das maiores conquistas rubro-negras. 
 
Aos 57 anos, Kita, com passagem pelo Mais Querido em 1986, morreu no dia 4 de outubro ao não resistir a complicações decorrentes do diabetes e de um câncer. O atacante foi medalha de prata pelo Brasil nas Olimpíadas de 1984.
 
No dia 10 de novembro, em trágico acidente aéreo, o Flamengo se despediu de Lucio Flávio Condurú de Oliveira, sócio-proprietário do clube e diretor-geral da Bradesco Vida.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/22758/memorial-rubro-negro-perdas-de-2015

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.