| Futebol

Mengão na Sul-Americana – Seriedade na batalha!

flameng - Mengão na Sul-Americana – Seriedade na batalha!

Salve, Salve, Nação Mais Linda do Mundo!

hoje estou de volta para falar do primeiro confronto pela segunda fase da Copa Sul-Americana, onde teremos mais uma batalha de 180 minutos contra o Palestino, time chileno (país com maior número de imigrantes palestinos em todo o mundo – 350.000 palestinos em meio a 18 milhões de chilenos) de pequeno investimento, sediado em Santiago, e qualidade técnica inferior à do Flamengo. O bom é que faremos o primeiro jogo na casa do adversário e decidiremos “em casa”, salvaguardando nosso mando de campo para reverter um possível, mas improvável, resultado adverso.

Precisamos nos preocupar? Respondo de pronto: SIM! Como TODOS SABEMOS: “Não existe mais BOBO no futebol mundial”! Ademais, jogo não se ganha de véspera. Ressalto sempre que os melhores times europeus costumam ganhar as partidas dos times menores impondo sua qualidade técnica aliada à extrema vontade e comprometimento dos jogadores em campo. Por isso defino a postura com que o Flamengo deve entrar em campo no Estádio La Cisterna, com capacidade para 12.000 espectadores, amanhã à noite, às 21:45 (Horário de Brasília) em apenas uma palavra: SERIEDADE!

Esse é o mote. Temos que encarar este jogo como mais uma final (certo, o jargão já está bem desgastado rsrs). Mas reitero que, se quisermos avançar à frente na competição, o Mais Querido deve entrar LIGADÃO no jogo. Não podemos dar espaço ao Palestino, que é um time inferior em qualidade técnica. Porém, como todo time sul-americano, os chilenos são, historicamente, cascudos na marcação, entregam-se absurdamente, além de ter habilidade natural com a posse de bola. Não podemos subestimar o adversário achando que poderemos ganhar a qualquer momento (haja vista o ocorrido na primeira partida contra o Figueira). Devemos impor nosso estilo de jogo e, pelo menos, igualar a vontade dos caras porque, a partir dessa igualdade, nossa técnica superior deverá decidir a partida a nosso favor.

Falando especificamente da partida, iremos com time misto, pois não poderemos contar com Damião, Gabriel e Donatti (ambos com leve desconforto muscular) e também com Diego, Willian Arão, Réver e Everton (não foram relacionados para a viagem, pois foram poupados). A delegação que viaja a Santiago do Chile é composta por 20 jogadores. São eles:
Goleiros: Muralha, Paulo Victor e Thiago;
Laterais: Pará, Rodinei, Jorge e Chiquinho;
Zagueiros: Vaz, Juan e Léo Duarte;
Volantes: Márcio Araújo e Cuéllar;
Meias: Mancuello, Alan Patrick e Adryan; e
Atacantes: Guerrero, Cirino, Sheik, Vizeu e Fernandinho.

Os chilenos do Palestino jogam, ofensivamente, no esquema 4-3-3, contando com os atacantes Valencia (craque do time – CUIDADO COM ELE!) e Torres apoiados, muitas vezes, pelos dois laterais (Cereceda e Sierralta) que sobem simultaneamente ao ataque, inclusive com infiltrações da dupla pelo centro do campo, além da constante troca de posicionamento ofensivo destes quatro elementos para acionamento do bom centroavante Benegas. Devido à essa característica extremamente ofensiva (característica da maioria dos times chilenos motivada pelo esquema implantado na seleção nacional comandada por Jorge Sampaoli) e pensando na armação do Fla com a cabeça do Zé Ricardo (que, com certeza, estudou minuciosamente as características de nosso adversário), provavelmente entraremos com Cirino (Bolt) e Fernandinho para explorar esse vazio na retaguarda adversária.

Devemos ter cuidado ainda com a triangulações entre os atacantes do Palestino e as inversões de bola com cabeceio do segundo pau para o centro da área, mesmo nas jogadas em movimento (fora a bola parada – Atenção! Valencia é preciso nos cruzamentos). Ainda devemos observar bom posicionamento defensivo mantendo as duas linhas bem próximas e o time bem compacto para evitarmos as infiltrações pelo meio, forçadas pelos atacantes que costumam subir bem abertos para tentar criar as brechas defensivas. O ponto forte do ataque chileno é o lado esquerdo do campo. Por esse motivo eu entraria com o Mancuello por ser melhor marcador do que o Alan Patrick, e com Cirino (que faz a recomposição defensiva muito bem – Deus nos ajude quando ele estiver com a bola!).

O ponto chave do jogo é entrar com a marcação alta (os volantes chilenos – Carvajal e Mazurek – costumam sair com bolas de média e longa distância para iniciar as jogadas ofensivas, pois os meias não chegam muito para sair jogando) e com bastante compactação para anular essa saída de bola de pouca qualidade. Outro ponto a ser destacado é a parca obediência tática defensiva do time do Palestino. A marcação é frouxa, espaçada e costumeiramente individual (onde há o acompanhamento até a linha de fundo, se necessário), porém sem muita aproximação das linhas defensivas. Isso facilitará a flutuação dos atacantes Zerricardianos, e nossos meias devem dar ênfase constantemente nas viradas de jogo e nas infiltrações, tanto pelo meio quanto pelos flancos. O lateral direito Sierralta é o ponto fraco da defesa palestina, onde poderemos realizar as triangulações e agredir o adversário desde o início. As flutuações também deverão acontecer, mas sempre com apoio de um jogador de meio e com rápida troca de passes, para pegarmos os chilenos de surpresa.

Agindo sessa forma, o Flamengo tem tudo para conseguir um excelente resultado em Santiago na noite de amanhã. Basta agirmos com seriedade, impondo nosso ritmo de jogo e nossa técnica apurada desde o início. Também não podemos achar que o jogo está ganho ou que poderemos ganhá-lo a qualquer momento, nem ceder espaços, nem recuarmos em demasia após a marcação do primeiro tento (se ele sair e como costumeiramente fazemos), senão recolocaremos os caras no jogo e isso não é nada bom, principalmente em terras sul-americanas.

A provável escalação do Palestino é a seguinte, num 4-3-3 clássico: D. Melo, Cereceda, Vidal, Luna, e Sierralta; Farias, Carvajal e Mazurek, Valencia, Torres e Benegas.

Eu, Fábio Monken, entraria com a seguinte formação: Muralha; Rodinei, Rafael Vaz, Juan e Jorge; Márcio Araújo, Cuéllar e Mancuello, Fernandinho, Cirino e Guerrero. Iniciando com essa formação, ainda sobrariam peças no banco do MENGÃO para mudar o jogo taticamente, se necessário.

Bom, é isso Nação Rubro-Negra. Aguardemos mais uma batalha amanhã à noite. Eu já estou contando as horas para o jogo. Estou muito apreensivo, mas bastante confiante de que nosso time se apresentará de forma madura e responsável, coisa que temos observado ao longo do trabalho realizado pelo nosso estudioso técnico Zé Ricardo.

VAI PRA CIMA DELES MENGO!!!
O Flamengo simplesmente é!
Saudações Rubro-Negras a todos!

Fabio Monken

Deixe seus comentários abaixo!
O DEBATE É SALUTAR SEMPRE!

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2016/09/mengao-na-sul-americana-seriedade-na-batalha/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.