Misto do Flamengo perde chances e o jogo para o Macaé

Misto do Flamengo perde chances e o jogo para o Macaé

Apesar do amplo domínio do jogo, o Flamengo não soube colocar a bola na rede e acabou perdendo para o Macaé, por 1 a 0, neste sábado, no Moacyrzão. Com time misto, a fim de descansar os principais jogadores para o segundo jogo da Libertadores, quarta-feira, contra o Emelec, Carpegianni levou a campo um esquema com dois volantes, diferentemente do que vem sendo treinado com os titulares.

LEIA TAMBÉM: Bandeira tenta antecipar receita da venda de Vizeu

O resultado da escolha do técnico foi um meio-campo e ataque com trocas de passes rápidas e jogo aberto pelas pontas, que envolveu o Macaé no início da partida. O adversário demorou a entender que precisava reforçar a marcação, sobretudo, em cima do jovem atacante de 17 anos.

Dos pés dele saíram boas chances. Aos 16 minutos, Arão roubou a bola na intermediária e lançou o atacante em profundidade. Ele finalizou com categoria, mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Macaé limitou-se a se defender. Diego Alves não fez qualquer defesa no primeiro tempo. O máximo de perigo foram bolas cruzadas na área.

Geuvânio, que ainda não disse a que veio no rubro-negro, se apresentou bem para o jogo. Pela direita, as melhores jogadas foram tramadas por ele. Como aos 32, na troca de passes com Arão. O atacante invadiu a área em velocidade, mas o goleiro conseguiu colocar a bola para escanteio.

O ritmo já não era o mesmo do início do jogo. Porém, no fim da primeira etapa, ainda deu tempo de uma bola na trave. Geuvânio cruzou rasteiro da direita, Luis Cetin espalmou e Vinícius Júnior pegou o rebote. Chutou com classe, mas o gol não saiu por pouco.

Assim como terminou o primeiro tempo, o Flamengo iniciou o segundo em busca do gol. Mas sem tanto espaço. A saída passou a ser chutes de fora da área. Primeiro, Trauco tentou surpreender o goleiro, que espalmou. Depois, Arão pegou rebote e a bola passou rente à trave.

Domínio, no entanto, não significa gol. Aos 19, uma falha generalizada do meio-campo e da defesa deixou que Pipico lançasse Lepu em profundidade à frente da zaga. Ele chutou rasteiro e Diego Alves, atrasado, não conseguiu defender. O nervosismo tomou conta e o time ainda teve o zagueiro Léo Duarte expulso após falta dura em Igor João, perto da área. A partir daí, a tática rubro-negra não existia mais e o Macaé até podia ter ampliado, mas Diego Alves, dessa vez, salvou.