| Futebol

Música de Maradona e aposta de final: Mugni devolve piada de colegas no Fla

Único argentino no elenco rubro-negro, meia espera ver Argentina derrotar Brasil no Maracanã mesmo que considere as duas seleções abaixo de rivais na Copa

Lucas Mugni flamengo treino (Foto: Gilvan de Souza / Divulgação)Lucas Mugni é o único argentino no Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Divulgação)

Não é pagode, funk, sertanejo ou gospel, os gêneros campeões de bilheteria entre jogadores de futebol do Brasil. A mais nova música ouvida na concentração, no vestiário ou no ônibus do Flamengo trata-se de um grito de guerra de torcida. Da Argentina. Com provocação ao Brasil. E, claro, a Pelé. No clima da Copa do Mundo, Lucas Mugni, o único compatriota de Maradona no elenco Rubro-Negro, usa a idolatria ao antigo camisa 10 para torcer e devolver as brincadeiras dos colegas. Tudo em nome da saudável rivalidade que, para o meia, será capaz de levar as duas seleções à final do Mundial.  

Tudo começou em Atibaia, a cidade do interior paulista que abrigou a primeira parte da preparação do Fla ao Brasileirão. Na última semana, entre a confraternização nos quartos e áreas comuns do hotel, Mugni passou a se vingar. Adotou o clima dos torcedores argentinos na Copa. E virou intérprete de "Brasil, decime qué se siente" (Brasil, me diga o que sente), entoada nos estádios brasileiros.  

- Estou sozinho. Tem muita brincadeira comigo. Então, passo o tempo cantando as músicas do Maradona. É mais ou menos assim: “Y Maradona es más grande que Pelé” (E o Maradona é melhor do que o Pelé) – contou o atleta aos risos.  

A música foi criada após a Argentina eliminar o Brasil na Copa de 1990, na Itália, com vitória por 1 a 0, gol de Cannigia em jogada de Maradona. A rivalidade não impede Mugni de analisar o desempenho de Argentina e Brasil no Mundial 2014. Com as duas equipes classificadas às oitavas, confia na tradição e na melhora durante a competição. Pois...  

- A verdade é que a competição tem muitas surpresas. Dos times classificados, meu país e o Brasil estão um pouco abaixo. Tem time que jogou melhor, como Holanda e Alemanha. Então, essas duas seleções têm de crescer no decorrer da competição. Os dois têm qualidade técnica, podem, sim, chegar à final. Quero isso. E o título argentino – disse Mugni.  

É esperar para ver. Nesta quarta, a Argentina enfrenta a Nigéria para definir a posição no Grupo F e conhecer seu adversário nas oitavas. O Brasil encara o Chile, sábado, em jogo eliminatório.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.