Não seja mais um Zé

Não seja mais um Zé

Quem acompanhou o trabalho do Zé Ricardo, logo quando assumiu o time de forma interina no ano passado, não reconhece a forma de atuar do time hoje. A apatia tomou conta do elenco que apesar de contar com vários jogadores experientes e campeões como Diego, Guerrero e Rever; quem se destacam são os “perebas”, porém de forma negativa.

O treinador parece ter perdido aquela chama inicial que levou o time a brigar pela vaga na Libertadores e, posteriormente, com a chegada de Diego, ao título. Hoje se vê um time burocrático, sem brio e que raramente vira um jogo. Erros individuais que eram pontuais ano passado, se tornaram comum. Porém quem sempre erra, ainda mantém vaga no time titular e o prestígio com o treinador.

Zé prefere manter suas convicções, do que simplesmente barrar jogadores que não rendem, mas que são lideranças no grupo. O problema do time está longe de passar apenas pelo treinador, mas como peça central, ele será o primeiro a cair fora, caso não mude a direção do barco.

O desgaste em cima de seu nome está enorme, sendo assim, ou a diretoria intervém, respaldando Zé em possíveis mudanças que atinja lideranças do time, ou cairá junto com suas “convicções”.

Por: Wesley Paulo