Com o término da Copa do Brasil, em que o arqueiro contratado como solução não podia jogar, chegou o momento de assumir de vez o posto e tentar conduzir o Flamengo à Libertadores do ano que vem. Até o final de 2017, serão 19 jogos, sendo 13 pelo Campeonato Brasileiro e 6 pela Sul-Americana. Na competição nacional, o time é o 7º colocado e, se terminasse agora, estaria garantindo a última vaga, mas tendo que disputar as etapas eliminatórias. No torneio continental, as quartas de final reservam um encontro com o rival Fluminense, e a conquista do título também significa classificação à principal disputa da América.

Diego Alves, além de ter se destacado no Valencia por suas defesas em cobranças de pênaltis, é considerado um goleiro seguro. Ou seja, pronto para aguentar a pressão na reta final de uma temporada bem abaixo da expectativa inicial do clube. "Temos que estar pressionados todo o tempo, exigimos isso por essa camisa e por nossa profissão. Por respeito à torcida e à nossa família”, destacou o técnico Reinaldo Rueda. Nesta segunda-feira, o Flamengo encara a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, no encerramento da 26ª rodada do Brasileirão. Será a primeira chance para curar a ressaca da perda de um título nacional.