Nas graças da Nação, Paquetá desconhece interesse europeu: 'Mengão na veia'

Nas graças da Nação, Paquetá desconhece interesse europeu: 'Mengão na veia'

Lucas Paquetá está nas graças da torcida. Não bastasse o bom futebol apresentado em campo, com técnica e a entrega tão cobrada pelos torcedores, o camisa 11 sempre faz questão de ressaltar que tem o "DNA rubro-negro", o que o tornou o mais recente xodó da Nação. Foi assim depois da vitória sobre o Internacional. Questionado sobre o interesse de clubes europeus, resumiu:

- Tá sabendo de alguma coisa? Mengão na veia! - declarou o camisa 11, sorridente, afastando as especulações sobre uma possível transferência.

A declaração só serviu para aumentar a empolgação dos rubro-negros quanto ao jovem meio-campista. Declarações de amor, pedidos ao Flamengo por um contrato vitalício e a Tite, técnico da Seleção Brasileira, para convocá-lo para o Mundial da Rússia tomaram conta das redes sociais após o jogo de domingo.

Aos 20 anos, Paquetá desbancou os medalhões e até Vinicius Júnior, joia da base já negociada com o Real Madrid-ESP, sendo o principal nome do Fla na temporada. São 20 jogos como titular, com quatro gols e cinco assistências.

Cria da Gávea e com passagens pelas seleções de base, Paquetá já desperta o interesse de grandes clubes da Europa. No início de maio, o diário "Corriere dello Sport", da Itália, publicou que a Juventus já observa o futebol do meia, tendo enviado representantes para o Brasil para vê-lo mais de perto. Nada oficial chegou ao Flamengo pelo camisa 11, que tem contrato até o fim de 2020.


De 2017 para cá, a evolução de Lucas Paquetá em campo é visível. Hoje, é titular absoluto e, sob o comando do interino Maurício Barbieri, passou a jogar na sua posição de origem, pela faixa central do campo, auxiliando na saída de bola. Foi assim nas últimas três partidas: Ceará, Ponte Preta e Internacional.

- Estou em uma posição que sempre joguei na base e estou realizando no profissional. Fico feliz com as chances que estou tendo e estou me dando ao máximo, trabalhando muito e me alimentando bem para seguir em boa forma. Se um dia eu não estiver bem, sei que terão outros para ajudar - disse o meia.

Com a boa fase de Lucas Paquetá, Maurício Barbieri tem a famosa "dor de cabeça boa" para os treinadores. Com Diego e Everton Ribeiro à disposição, o interino precisa decidir quem jogará ao lado do garoto na faixa central. O camisa 10, lesionado, ficou de fora dos últimos dois jogos e Ribeiro aproveitou a oportunidade com duas boas atuações diante de Ponte Preta e Internacional. No segundo, marcou um golaço no Maracanã.

Antes da lesão de Diego, Everton Ribeiro vinha atuando aberto na ponta direita e o rendimento não vinha sendo satisfatório, tanto que o camisa 7 acabou indo para o banco de reservas durante abril e Geuvânio foi testado na posição.