| Futebol

NAS MÃOS (E NOS BRAÇOS) DE VOCÊS

TORCENDO PELA TORCIDA

 

Da mesma forma que a maioria de vocês, celebro a atual qualidade e diversidade do nosso elenco, que este esteja sendo comandado pelo Muricy, nossa política financeira e as melhorias no nosso CT. Depois de ANOS nos conformando com equipes apenas medianas, treinadores de qualidades discutíveis e estrutura incompatível com nossa grandeza, o ano de 2016 poderia ser perfeito para nossa arrancada definitiva rumo a um patamar que sempre ansiamos, e merecemos.
Só que não é.

Por que não é?
Porque nosso elenco ficará exposto a um desgaste com viagens duas vezes maior do que nossos concorrentes. Como se isso não bastasse, afastados da nossa casa e do nosso diferencial.

Vejo muita gente enaltecendo torcidas de equipes argentinas, alegando que elas cantam o tempo inteiro. É verdade, cantam mesmo!
Cantam com o time vencendo, cantam com o time empatando, cantam com o time perdendo e continuam cantando até depois do jogo acabar.
Mas me deem a gravação de uma dessas cantorias, um bom amplificador e algumas caixas de som bem distribuídas, que garanto fazer uma imitação perfeita em um estádio vazio.

A torcida do Flamengo no Maraca é diferente. Ela pulsa de acordo com o que acontece dentro de campo. Até mesmo um deficiente visual seria capaz de “enxergar” o que está acontecendo, bastando acompanhar suas reações.
No Maracanã, nossa torcida JOGA JUNTO!
Silencia quando em estado de ansiedade, se desespera quando a bola teima em não entrar, reclama ao perceber qualquer sinal de comodismo e até vaia, se o resultado final não foi o esperado.

Mas, quando ela resolve empurrar, o canto sai lá de dentro da alma, de forma INCOMPARAVELMENTE mais forte do que qualquer outra, até mesmo pelo contingente de apaixonados que conseguimos levar para aquele que já foi o maior do mundo. O volume desse canto, ÚNICO e INSUPERÁVEL, gera uma dose cavalar de adrenalina em nossos jogadores, os impulsionando para cima dos adversários.

Algumas vezes, quando os líderes do grupo nutrem a mesma paixão que nós, ou simplesmente compreendem o que representa entrar para a história do clube de MAIOR TORCIDA DO MUNDO, as vaidades, baladas e vida pessoal são colocadas em segundo plano e substituídas pelo foco, garra, raça e determinação. Sempre atenta, nossa torcida percebe tal movimento e abraça essa equipe da forma mais calorosa possível, batendo recordes de público jogo após jogo.

É exatamente essa química que, para desespero dos adversários e vexame dos “intendidos” da mídia, faz com que até equipes limitadas se superem e sejam levadas a conquistas, proporcionando festas de magnitude jamais vista em outros estádios.

O porquê de toda essa explanação acima? Simples!
A maratona a qual seremos expostos este ano, o desgaste físico (e emocional) com viagens e a falta de tempo para uma recuperação adequada do elenco, não temos como evitar. Já a sensação de jogarmos “em casa”, podemos, pelo menos, tentar imitar.

Mais do que em qualquer outra época, chegou a hora da nossa torcida das praças onde formos jogar fazerem valer a máxima, que sempre enchemos a boca para afirmar com o MAIOR orgulho. Se realmente o “O FLAMENGO JOGA EM CASA EM QUALQUER LUGAR DO PAÍS”, a hora de mostrar é agora. Não vai bastar a presença do nosso torcedor, apenas pela oportunidade de ver ao vivo seu time do coração jogar.

Seja em Brasília, Volta Redonda, São Paulo, Aracajú, Juiz de Fora ou em qualquer outro lugar, se quisermos superar todas as dificuldades que estão nos sendo impostas, e aspirar, de verdade, títulos (ou simplesmente vaga na Libertadores do ano que vem), nossos torcedores dessas praças VÃO TER QUE JOGAR JUNTO TAMBÉM.

Não será com vaias antes da hora, se limitando a abanar bandeirolas como torcedor japonês ou com meia dúzia de gatos pingados nos estádios, que chegaremos a lugar nenhum. “Simpatizantes” são sempre bem vindos, mas o momento EXIGE a presença também dos apaixonados de verdade, dos “Casca Grossas”, dos torcedores de estádio.
Precisamos retribuir o belo elenco que foi montado, o treinador de ponta que foi trazido e a austeridade na política financeira que está sendo mantida. E retribuir significa ir para os estádios apoiar INCONDICIONALMENTE.

Tem PPV? ÓTIMO! Deixe a TV ligada para pai, mãe, sogra, vizinho, cachorro, papagaio, levante a bunda da poltrona e vá para o estádio mostrar que sabe EMPURRAR também.
Em nenhuma outra fase da nossa história o Flamengo precisou TANTO do apoio, e do “gogó”, de vocês. 

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.