| Futebol

Ney 2006 x Ney 2014: parada para a Copa, Fla em crise e poucos reforços

Há oito anos, técnico assumiu o Flamengo em circunstâncias parecidas, contou com a volta de Sávio, chegada de Bruno, revelou Renato Augusto e saiu do buraco

Em 2006, Ney Franco chegou ao Flamengo ainda como um técnico promissor, depois de uma passagem pelo Ipatinga. Agora, com mais bagagem, voltou ao clube e, coincidentemente, vivendo as mesmas circunstâncias de oito anos atrás, com o time em crise mau colocado no Campeonato Brasileiro, à espera de reforços e com uma parada para a Copa do Mundo como solução para os problemas do campo.

Ney Franco Flamengo treino (Foto: Alexandre Cassiano / O Globo)Ney Franco em sua primeira passagem pela Gávea, iniciada em 2006 (Foto: Alexandre Cassiano / O Globo)



Este ano, Ney Franco assumiu o lugar de Jayme de Almeida depois de uma derrota para o Fluminense. O resultado havia deixado o Flamengo na 16ª colocação, com quatro pontos em quatro jogos disputados. Em 2006, o time ocupava a 13ª posição, com sete pontos em seis partidas.

Com quatro jogos sob seu comando antes da parada para a Copa de 2006, Ney conseguiu levar o time a 14 pontos, chegando ao 10º lugar depois de 10 rodadas disputadas. Agora, o treinador terá o quinto jogo, domingo, contra o Cruzeiro, em Uberlândia, de um total de nove antes da paralisação da competição, mas desta vez na zona de rebaixamento, na 17ª colocação, com sete pontos conquistados.

Há oito anos, com a paralisação para a Copa do Mundo, os jogadores também ganharam um recesso como o que haverá este ano. Na volta, o grupo viajou para três amistosos no Norte e Nordeste do país. Quando chegou ao clube, a previsão era de uma série de 10, que Ney Franco conseguiu impedir, considerando que atrapalharia a preparação.

Desta vez, o Flamengo fará suas atividades durante a paralisação no Ninho do Urubu, já que os principais centros de treinamento do país estão nas mãos da Fifa por causa da Copa do Mundo. A previsão de amistosos existe, mas nada que leve o time a lugares longínquos como aconteceu em 2006,com jogos em Manaus, Boavista e São Luís.

Em 2006, Ney Franco recebeu apenas quatro reforços para a segunda parte da temporada. O goleiro Bruno, o volante Paulinho, o meia Jajá e o atacante Sávio, recebido com grande festa no retorno ao clube de origem, onde foi ídolo em meados dos anos 90. Destes, apenas Bruno teve uma carreira mais longa no Flamengo até ser preso em 2010 acusado do assassinato de Eliza Samudio. A novidade acabou sendo o surgimento de Renato Augusto como principal revelação rubro-negra nos últimos anos.

Agora, o clube ainda negocia a contratação de reforços, mas não são esperados muitos nomes. Os dirigentes seguem a política de que não podem arcar com grandes salários para manter o pagamento em dia. A pressão é grande. Se vencer o Cruzeiro, ainda haverá um alento, já que o Flamengo ficará fora da zona de rebaixamento.

Mesmo com poucos reforços em 2006, Ney Franco conseguiu fazer uma campanha razoável no Brasileiro, terminando na 11ª colocação, com 52 pontos. No entanto, terminou campeão da Copa do Brasil, quando comandou o time apenas na final contra o Vasco.

Agora, depois do jogo com o Cruzeiro, Ney vai reiniciar o trabalho no dia 16, quando termina o período de 15 dias de férias e os jogadores se reapresentam. A busca segue por reforços, um time e a esperança de encontrar mais um Renato Augusto.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.