| Futebol

Ney Franco balança, e diretoria avalia sobrevida até o clássico com o Bota

Dificuldade financeira e falta de opções convincentes no mercado jogam a favor de última chance para treinador no domingo. Reuniões nesta segunda definirão situação

Ney Franco Flamengo e Internacional Beira-Rio (Foto: Luiz Munhoz / Agência Estado)Ney Franco Flamengo e Internacional Beira-Rio (Foto: Luiz Munhoz / Agência Estado)

Ney Franco amanhece a segunda-feira como técnico do Flamengo, mas isso não o garante no cargo até o clássico com o Botafogo, domingo, no Maracanã. Sem vencer em sete partidas no comando e com o time na lanterna do Brasileirão, o treinador está sendo avaliado pela diretoria, que emenda reuniões desde a derrota por 4 a 0 para o Internacional, na tarde deste domingo, no Beira-Rio, para definir o futuro do clube. Há um clima de precaução para que nenhuma decisão seja tomada no calor da emoção da goleada sofrida em Porto Alegre. Caso ganhe mais uma chance, o treinador só se mantém no cargo com um triunfo contra o Glorioso. 

A verdade é que Ney Franco está muito pressionado. Correntes dentro do clube questionam o fato de a equipe não apresentar padrão de jogo mesmo após um mês de treinamentos durante a paralisação para Copa do Mundo e ter sido presa tão fácil para o Colorado. A falta de boas opções no mercado e o caixa combalido jogam a favor de uma sobrevida para o treinador. A segunda-feira no Rio de Janeiro será decisiva com encontros ao vivo entre o diretor de futebol, Felipe Ximenes, e o restante da cúpula rubro-negra. 

Além de Ximenes, o presidente Eduardo Bandeira de Mello foi o único dirigente a fazer parte da delegação no Rio Grande do Sul. Na noite de domingo, o futuro de Ney Franco foi a pauta de longos telefonemas, muitos deles para o CEO do clube, Fred Luz, que tem sido mais participativo no departamento de futebol desde as saídas de Paulo Pelaipe e Wallim Vasconcellos. O prazo para definição da permanência do treinador vai até a manhã de terça-feira, quando o elenco rubro-negro se reapresenta no Ninho do Urubu. 

Da minha parte, vou ser direto e nem vou me prolongar nisso: estou preparado para continuar à frente do clube. Acabei o jogo agora, ainda não tive contato com ninguém da diretoria, mas o meu pensamento com os jogadores no vestiário é de se reapresentar na terça-feira para continuarmos à frente do trabalho
Ney Franco

Desde que retornou ao Flamengo, Ney Franco comandou a equipe em sete partidas, com quatro derrotas e três empates. Somente nas duas últimas partidas, após a parada para Copa do Mundo, o treinador utilizou 18 jogadores e mudou o esquema do 3-5-2, muito trabalhado no período sem jogos, para o 4-4-2. As opções são questionadas internamente por dirigentes, assim como improvisos realizados diante de Atlético-PR e Internacional. Contra o Colorado, por exemplo, Márcio Araújo jogou todo o primeiro tempo na lateral direita, com Léo Moura no meio. Não deu certo. 

Em entrevista coletiva, o comandante descartou a possibilidade de entregar o cargo e passou a bola para diretoria. Já na última sexta-feira, no Ninho do Urubu, Ney tinha dito ver qualquer decisão tomada antes do clássico com o Botafogo como precoce. 

- Da minha parte, vou ser direto e nem vou me prolongar nisso: estou preparado para continuar à frente do clube. Acabei o jogo agora, ainda não tive contato com ninguém da diretoria, mas o meu pensamento com os jogadores no vestiário é de se reapresentar na terça-feira para continuarmos à frente do trabalho. 

Pressionado e com a corda no pescoço, Ney Franco retorna ao Rio de Janeiro juntamente com a delegação do Flamengo nesta segunda-feira, em voo de deixa Porto Alegre no início da manhã. O elenco se reapresenta para iniciar a preparação para o clássico com o Botafogo na terça-feira, às 9h (de Brasília).

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.