| Futebol

Ney Franco desconhece artilheiro do sub-20: "Não deu para olhar a base"

Douglas Baggio marcou 16 gols pelo Fla no Carioca, mas ainda não foi observado. Treinador, no entanto, pede treinos da categoria simultâneos aos dos profissionais

O Flamengo ficou fora da decisão do Carioca Sub-20 de 2014, mas a ausência na final não foi empecilho para que alguns jogadores se destacassem e chamassem a atenção dos torcedores. Um deles, inclusive, foi vice-artilheiro da competição, com 16 gols: Douglas Baggio. O momento complicado do time profissional, vice-lanterna do Brasileiro, no entanto, não permitiu com que a própria comissão técnica pudesse olhar para os jogadores da categoria. Perguntado em entrevista coletiva no Ninho do Urubu sobre uma possível chance a Douglas, Ney Franco confessou sequer conhecer o atleta.

- Desculpa, quem? Não conheço o atleta. Mas só aproveitar para falar, eu cheguei no Flamengo num momento em que entramos em competição e não deu para olhar a base. Nosso retorno aos trabalhos coincidiu com as férias do sub-20. Eles retornam entre os nossos jogos contra Internacional e Botafogo, e vamos ter o encontro com eles. Já terão condições de trabalhar conosco. Pedi para que colocássemos o treinamento deles próximo com o nosso, no mesmo horário. Vamos colocar a programação para ter proximidade e dessa forma começar a utilizar os jogadores da base - declarou.

douglas baggio flamengo sub-20 taça rio (Foto: Raphael Bózeo)Atacante Douglas Baggio foi vice-artilheiro do Estadual sub-20, com 16 gols (Foto: Raphael Bózeo)


Ney utilizou um dos mais jovens do grupo nos treinamentos do time profissional. Caio Rangel, de 18 anos, porém, foi negociado com o Cagliari-ITA e não é mais jogador do Flamengo. Para o treinador, caminho que vai se tornando cada vez mais natural no futebol brasileiro.

- A saída do Caio é a realidade do futebol brasileiro. Subi com o Caio porque é um jogador com quem trabalhei na CBF. Ele jogava no time sub-15 ainda em 2011. Peguei algumas informações do atleta, coincidentemente subiu e foi negociado. Nosso talentos saem com 17, 18 anos. Os clubes brasileiros têm que começar a trabalhar. Sabemos que os europeus acompanham as seleções de base, e qualquer jogador que tenha passagem por essas seleções, eles já possuem todos os números. O Caio foi mais um desses jogadores.

* Thiago Benevenutte, estagiário

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.