Noval demora a dar rumo ao futebol do Fla um mês após saída de Caetano

Noval demora a dar rumo ao futebol do Fla um mês após saída de Caetano

Em sua apresentação como diretor de futebol do Flamengo, Carlos Noval disse que até o fim daquela semana o clube deveria ter os nomes para assumir as vagas deixadas na reformulação, que começou com a sua entrada no lugar do executivo Rodrigo Caetano. Passado um mês nesta quinta-feira, 30 dias após aquela eliminação para o Botafogo no Estadual, pouca coisa mudou sob a nova direção.

No período, foi dado a Noval autonomia para avaliar os profissionais do departamento e levantar opções para cargos vagos e de sua confiança. O presidente Eduardo Bandeira de Mello e o diretor-geral Fred Luz acompanharam Noval de perto desde então. Nenhum, muito menos Noval, se apresentou para dar novas diretrizes sobre o treinador, considerado interino, após mais um jogo ruim, pela Libertadores, diante do Santa Fe.

Apesar das boas referências dentro do clube e da longa passagem na base, Noval enfrenta dificuldade para funcionar como porta-voz do futebol profissional, justamente por ainda estar se ambientando. Procurado para dar explicações sobre a demora na definição de um novo treinador, ou a manutenção definitiva de Barbieri, o dirigente negou o pedido através da assessoria do Flamengo.

A avaliação do trabalho de Noval no primeiro mês é bom, mas há dúvidas se ele permanecerá no cargo em 2019. Muito por conta da eleição no fim do ano. Não está descartado que retorne para ocupar o cargo que tinha na base, onde brilhou. Enquanto iso o Flamengo trouxe Eduardo Freeland do Botafogo para ser o gerente do setor.

Por ser cria da casa, houve o entendimento que aproveitar Noval no profissional era a melhor opção, até pela falta de outra indiscutível. Sua cooperação ainda no período de Rodrigo Caetano, com a transição entre as categorias, foi levada em conta.

Em um ano conturbado, o diretor tem perfil conciliador e o desafio de cobrar desempenho do treinador e do elenco de peso, com atletas renomados. No último mês, contudo, o que se viu foi um departamento à deriva, funcionando com base nos pilares fincados até agora.