Em campo, sempre chamou a atenção por ser um exímio defensor de pênaltis. Tem impressionantes 51% de aproveitamento no futebol espanhol - na Liga, interceptou 22 de 49 cobranças. Além disso, sofreu apenas um gol em quatro "tiros fatais" batidos pelo astro Cristiano Ronaldo. Na temporada 2016/2017, a sua última com a camisa do Valencia, fez seis defesas em 11 cobranças, um recorde absoluto do campeonato. Porém, mesmo após seis anos e  21 convocações para defender a equipe verde-amarela, ele deixa o Mestalla de uma forma polêmica. Conforme destaca o ​Globoesporte.com, seu relacionamento com a torcida se tornou ruim após ser acusado de debochar de vaias

Mesmo assim, traz consigo uma trajetória interessante. Em tratamento contra a paralisia facial, chegou a engordar 20 quilos na adolescência, recebendo o apelido de "x tudo" - a letra "x", inclusive, faz parte do endereço de seu site oficial (www.diegox.com.br). Nas categorias de base do Atlético-MG, sempre disputou com Bruno (que está preso acusado da morte de Eliza Samúdio) a condição de titular, gerando no concorrente um ciúme "doentio". Por fim, ainda teve uma coluna do falecido e inesquecível Armando Nogueira dedicada ao seu futebol.

"Mãos que afagam a bola entre luvas que se abrem em forma de cálice. Flores da primavera. Eu desconfio que cada dedo das mãos de Diego esconde ímãs. Este rapaz tem dos felinos o sigilo e a destreza. Para não dizer que o que ele faz mesmo em campo é mágica. Direi agora o que disse uma vez de um colega seu da URSS, Dasaev, que deslumbrava os campos europeus nos anos 1980: é mais fácil fazer um gol do que fazer goleiro como tu, Diego." É com este prestígio que ele chega ao Flamengo.