É necessário então relembrar que o Flamengo, finalista da Copa Sul-Americana, terminará a temporada 2017 tendo entrado em campo nada menos que 84 vezes. Entre os clubes brasileiros, o número supera até mesmo o do Grêmio, campeão da Copa Libertadores e que jogará o Mundial de Clubes a partir desta terça-feira. É o recordista mundial neste ano, acima de qualquer outro grande clube do planeta.

Tais números, além de avassaladores, mostram também que vários dos atletas rubro-negros ultrapassaram a marca dos 50 jogos nos últimos 12 meses. Alguns deles até mesmo a marca dos 60. É mais (muito mais) que várias equipes gigantes espalhadas por todos os continentes. Como por exemplo os casos  do volante Willian Arão (66), o lateral Pará (63), o zagueiro Réver (58), além do meia Everton e do volante Márcio Araújo (55). 

A preparação física é quem acaba sofrendo mais. Não à toa, desde o início do calendário, o Rubro-Negro vem se preocupando com as lesões, que aumentaram consideravelmente e chegaram a 46. Como planejar-se adequadamente assim? Pergunta que não tem resposta.