| Futebol

Nutricionista garante alimentação balanceada

Com cardápios variados e individualizados, Léo Acro deixa atletas prontos para aguentarem a rotina intensa de treinos em Atibaia

Nesta intertemporada, em Atibaia, os atletas rubro-negros têm treinado forte, sob os cuidados dos profissionais gabaritados da comissão técnica. Menos visto e comentado, o extracampo também é fator importante nesta engrenagem. Exigidos em exercícios físicos no campo e na academia, os atletas precisam estar bem alimentados e hidratados. Esta função é do nutricionista Léo Acro, responsável pelo cardápio das sete refeições diárias dos jogadores.

O profissional explica que, quando concentrados, os rubro-negros não podem comer nada que não seja servido pelo clube, pois, mesmo se quisessem, o hotel não tem autorização de liberar algo que fuja do menu pré-estabelecido por ele.

"Cada jogador tem sua particularidade, mas, em todas as refeições, direciono para cada atleta um cardápio a fim de suprir suas necessidades individuais. Quem tem que ganhar massa muscular, direciono alimentação e suplementação propícias para isso, para suportarem um treinamento à altura. Uma pessoa não bem alimentada e não bem suplementada, caso haja necessidade de suplemento, não terá bom rendimento nos exercícios. O pilar de um treinamento é alimentação, descanso e o tipo de atividade que é designado a cada um", ensinou.

Léo Acro já trabalhou com atletas de diferentes nacionalidades. No atual elenco, há dois argentinos, um paraguaio e um colombiano, ou seja, diferentes hábitos alimentares, que precisam se adaptar à comida brasileira para ingerirem os nutrientes necessários. No clube desde 2012, Cáceres, por exemplo, não comia feijão, e hoje já consome duas vezes por semana, após trabalho diário de acompanhamento e conversas com o nutricionista. No entanto, ressalta que a heterogeneidade é comum em qualquer grupo e não depende da presença de estrangeiros.

"Temos quatro estrangeiros no grupo, de países e, consequentemente, culturas diferentes. No grupo dos brasileiros, também tem heterogeneidade, pois há atletas de diferentes partes do Brasil, do sul ao norte, com hábitos alimentares diferentes. Com isso, tenho que equilibrar, por o meio termo. De maneira geral, todos respondem muito bem. Sempre há uma troca com os atletas, pergunto o que gostam e o que não gostam e, de acordo com as situações do dia a dia, deixo-os mais à vontade ou não", disse.

Pré-temporada e intertemporada: diferenças

Léo garante que esta semana será muito produtiva, porque consegue ter o controle total de todos os atletas, inclusive do período de descanso, além de a estrutura permitir variados tipos de treinamentos, mas, pela segunda vez no ano em Atibaia, diz que, neste momento da temporada, os objetivos são diferentes.

"Quando estamos em começo de pré-temporada, eles estão voltando das férias, período em que ficam mais relaxados, não há um controle alimentar e ainda tem o Natal e o Ano Novo, dias de fartura de comida. Portanto, vejo como cada um se encontra, é feito trabalho fisiológico, exames bioquímicos e, a partir dessas avaliações, começamos a direcionar a alimentação deles. Tanto aquele que tem que perder, quanto o que tem que ganhar, passa por uma espécie de 'limpeza', com alimentação mais saudável possível para retirar os excessos que foram cometidos nas férias", explicou. "Agora, tenho que dar toda a condição para que o Mello tenha o atleta inteiro em cada treino. Alimentar um atleta para treinar é um 'porém', agora, recuperá-lo a cada treino, é diferente. Tenho que deixá-los bem alimentados para que os estoques de glicogênio e a reparação de tecido muscular estejam sempre perfeitos."

Para manter tudo sob controle, o nutricionista conversa com o cozinheiro chefe da cozinha e diz o que precisa que esteja presente nas refeições dos jogadores, concedendo opções, tanto para quem tem que ganhar, quanto para quem tem que perder peso. 

"Todo dia, o cardápio oferecido aos atletas é revisto. A base da salada, e de alguns pratos, como feijão, arroz e macarrão temos todos os dias. Eu faço as alterações no modo de preparo de cada prato, cada proteína. Em um dia coloco ensopado, no outro, grelhado e, com isso, sempre ganho uma parte e perco em outra. Vou equilibrando com o passar dos dias. Comer tem que ser algo prazeroso", define.

Confira abaixo o que Léo Acro tem a dizer sobre cada refeição dos atletas.

Café da manhã
"Fundamental para o atleta realizar a atividade da manhã."

Lanche pós-treino da manhã
"São oferecidos frutas, biscoitos, café, água, água de coco, repositor hidroeletrolítico. Com esses alimentos, tenho a garantia de que consegui recompor um pouco o estoque de glicogênio que foi perdido durante a primeira atividade do dia."

Almoço
"Temos a preocupação de atender às necessidades individuais dos atletas, olhando de perto e recomendando o que devem comer."

Lanche pré e pós-treino da tarde
"Em ambos, oferecemos o mesmo do pós-treino da manhã. No pré, para ficar leve e poder realizar a atividade bem, como se fosse em situação de jogo. E, depois do treino, para evitar a degradação muscular."

Jantar
"Faço controle de tudo que foi feito ao longo do dia, vejo com o preparador físico quais foram os treinamentos; com o fisiologista, vejo o estado de cada atleta e, a partir daí, direciono a alimentação e a suplementação para cada um deles."

Ceia
"Por volta das 22h, oferecemos queijos magros, peito de peru, cereais, frutas, iogurtes, sopa. Assim, garantimos a alimentação de um dia de treinamento."

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/21115/nutricionista-garante-alimentacao-balanceada

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.