| Futebol

O Flamengo e a luta pelo óbvio!!!

flameng - O Flamengo e a luta pelo óbvio!!!

Caros Rubro Negros,

Eis que o campeonato estadual do RJ já está no seu início claudicante. Contudo, este ano temos um fato novo relacionado ao já tão manjado, sem tempero e sem cor Campeonato Carioca: as cotas de TV.

Como muitos de vocês sabem, o Flamengo fez uma série de exigências para que o novo contrato de TV contasse com a assinatura do Rubro-Negro puxador de audiência e trem pagador desse campeonato que já caducou faz tempo. Essa posição privilegiada do Flamengo é tão real que a Globo se furta ao direito de pagar R$ 30 milhões de reais a menos pelo direito de transmissão do campeonato inteiro caso o Mengão não assine o contrato, mesmo a verba destinada aos cofres do Mais Querido sendo apenas metade desse valor. E todos sabemos que o único sustento desse torneio decrépito são as cotas de TV, por que se for olhar para a renda de bilheteria do todos os jogos…

Pois bem. Agora, faltando apenas 2 semanas para nossa estréia na competição me deparei com uma matéria na qual os dirigentes de clubes menores do RJ choram suas mágoas como se estivessem num divã psiquiátrico, ou melhor ainda, numa mesa de boteco, uma vez que o divã psiquiátrico é para coisas sérias, sendo o bar mais apropriado para as falácias dessa turma. Vejam as melhores:

  • ”O Flamengo se acha o todo poderoso. Quer ganhar mais que os outros”

As exigências do Flamengo estão longe de se ater apenas a recompensas financeiras, o que até seria justo por conta da importância do Fla para este certame. Estamos falando em transparência, gestão e moralidade. São exigências que em qualquer outro lugar seriam regras e não pedidos, que por sinal vem sendo negados sistematicamente. Isso sem falar na preservação de direitos básicos. Afinal de contas relembrar é viver: No carioca de 2014 o Flamengo teve parte de sua cota de TV pessoal subtraída com o intuito de aumentar a premiação do campeonato. Pode isso Arnaldo?

  • “Estamos falando em 1 milhão por jogo. Não tem campeonato que pague isso só pro time entrar em campo.”

Alguém compre uma calculadora para esse cidadão? No campeonato Brasileiro são 38 jogos por time. Será que o Flamengo ganha apenas R$ 38 milhões de reais de cota de TV para jogar o Brasileirão? Não né?

  • “O Flamengo está pensando só nele. E esqueceu dos clubes menores”.

Os mesmos clubes menores que constantemente prejudicam o Flamengo e o futebol carioca como um todo em prol de suas próprias agendas, em conjunto com a FERJ? Sei…

São tantos absurdos e despautérios que se eu for comentar um por um deixo de fazer uma coluna e farei um jornal. No frigir dos ovos fica clara a tentativa esdrúxula de colocar nas costas do Flamengo a responsabilidade pelo fomento e pelo bem estar do futebol carioca como um todo, responsabilidade essa que é, em última análise, da FERJ. Vejam só como funcionam as coisas: Sem o Flamengo o campeonato está perdendo 30 milhões de reais, 15 milhões que seriam repassados ao Fla e 15 milhões que, baseado nas declarações dos presidentes, iriam resolver todas as mazelas de todos os times pequenos e médios do RJ em todas as divisões do carioca. Pois bem. Assim sendo, caberia a FERJ, como responsável pela organização, evolução e fomento do futebol no estado, fazer algo semelhante ao que foi feito em 2014 com o Flamengo e diminuir o repasse do direito de TV de Vasco, Fluminense e Botafogo em prol do bem estar coletivo. E o que faltasse a FERJ completaria com suas próprias receitas. Que tal? Dessa forma o Flamengo ficaria a ver navios sem sua fatia do bolo e o futebol do RJ estaria a salvo mais uma vez não é mesmo?

A verdade é que quem não pode não se estabelece. E o Flamengo pode muito. Não está mais de “pires na mão” como 99% dos outros clubes. Pode e deve negociar pelo que é bom pra ele e não aceitar qualquer oferta. Pode e deve se valorizar. No mais, nunca vi ninguém mexer uma palha para ajudar o Flamengo nos seus problemas. Quando o Fla estava em situação financeira difícil o que fizeram foi se apropriar de parte de sua cota de TV e ainda proibiram a utilização de descontos para o ST em jogos do Carioca, em mais uma manobra com a única intenção de prejudicar o Fla. Quando tivemos problemas com a falta de estádios para jogar no RJ não vi nenhum clube estendendo a mão par ajudar. Muito pelo contrário. Em relação ao malfadado campeonato de 87 não vejo hombridade alguma… Mas na hora de encher o bolso de dinheiro, o pessoal logo fala em união e pede que o Flamengo continue a se SACRIFICAR, puxando esse campeonato esclerosado e senil que teima em se contrapor a realidade do futebol moderno em uma versão moderna da briga do Dom Quixote com os moinhos de vento. E o Fla tem que sustentar essa “bolha do tempo” sem ter nenhuma contrapartida que ache justa. Tudo em prol do “bem coletivo”. Pessoalmente não sabia que o Fla tinha virado uma instituição filantrópica… Sem falar que esse “bem coletivo” ai é bem suspeito, isso sim.

Por essas e outras eu concordo em gênero, número e grau com a postura atual do Flamengo. Se não quiserem atender o nosso pleito e nem tiverem uma contraproposta adequada, que vá passar Madureira e Macaé domingo à tarde. Aposto que sem a nossa presença na TV logo o campeonato não vai valer nem os 90 milhões que hoje ofereceram por ele…

Opine, elogie, critique…Participe!! E se você ainda não é Sócio Torcedor…faça o seu imediatamente!!! O seu maior benefício é ver um Flamengo cada vez mais forte!!!

Nota -100000000: Maracanã. É absurdo o estado do Maracanã. Tanto fisicamente, abandonado e largado as traças, quanto em relação situação jurídica administrativa do mesmo. Consórcio, Governo, Comitê Olímpico… todos culpados. O maior estádio do Brasil hoje chora…

Nota 5: Copa São Paulo de futebol Junior. Um torneio que poderia ser muito bem feito, estruturado, com o intuito de revelar jovens talentos acaba sendo um torneio inchado e desorganizado, com 120 clubes e com um mata mata no qual clube pode perder e seguir na competição… triste.

Nota 10: Flamengo 2017. Mesmo com a pressão de parte de uma ansiosa torcida, mesmo com as necessidades de contratações pontuais e com as “cavadas” de sempre o compasso da diretoria para contratar parece ser o mesmo. Parece procurar por contratações certeiras e que caibam no nosso bolso, de quem trabalha e não tem mecenas para pagar as contas.

Luiz Henrique Amorim

contato@colunadoflamengo.com

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/01/o-flamengo-e-luta-pelo-obvio/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.