| Futebol

O Flamengo para os ricos ou para os pobres?

O Flamengo para os ricos ou para os pobres?

O Flamengo vivenciou um longo período na sua história onde era comum observar negociações lesivas a instituição e inúmeras vezes também aos atletas que não recebiam o prometido e por consequência acionavam a justiça. Também era notório o déficit estrutural do clube, faltava local adequado para treinamentos, equipamentos e qualificação da equipe que geria o futebol.
A partir da chega do Eduardo Bandeira de Melo e uma equipe de gestores com perfil profissional, experiência em empresas e no mercado financeiro o clube se tornou mais responsável e organizado.
Atualmente, o Flamengo conta com um bom centro de treinamento, estádio provisório, programa sócio-torcedor, paga em dia seus atletas e tem conseguido controlar suas dividas. Em sua segunda gestão o aplicado presidente conseguiu muitos feitos administrativos. Parece ate um milagre, concordam?
É preciso mencionar que o sucesso administrativo ainda não gerou grandes vitorias dentro das quatro linhas. Faltam títulos expressivos e uma melhor compreensão sobre futebol para o Bandeira. Mesmo assim ele conseguiu um feito magnífico, sem dúvida hoje mesmo não jogando futebol, marcando gols ou dando assistências, o presidente do Flamengo se tornou um ídolo.
Não poderia ser diferente! Em um país onde a corrupção impera e tem o futebol cercado de canalhas, Bandeira se tornou um exemplo, a “luz no fim do túnel”.
Diante de tantos feitos, do sucesso financeiro do clube, mesmo sendo otimista quanto a conquistas futebolísticas num futuro próximo e observando o Flamengo cada dia mais forte, algo me preocupa — O afugentamento dos torcedores menos favorecidos do estádio.
O repórter esportivo Mauro Cezar Pereira (ESPN), dentre outras personalidades da mídia esportiva, tem usado de muita coerência destacando sistematicamente o preço abusivo dos ingressos e a dificuldade que os não sócios do clube tem em ir aos jogos. Não se pode esquecer que estes torcedores são também peça fundamental na engenharia financeira do clube, assistem jogos na TV, divulgam a marca nas suas discussões entre amigos, nas redes sociais, enfim, fazem parte do Marketing. Não é de costume geral dizer que o Flamengo é um time de massa?

Acredito na sensibilidade do Bandeira de Melo e espero que a dinâmica de valorização dos sócios não venha a prejudicar os menos favorecidos de frequentar o estádio. Todos devem ter o direito de levar seu filho e comemorar os gols do Guerrero, Diego e companhia… O Flamengo não exclusivo para os ricos ou pobres — O Flamengo é para todos!

Mauricio Dias

Reprodução/Twitter Thayuan Leiras

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/08/o-flamengo-para-os-ricos-ou-para-os-pobres/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.