| Futebol

O RISCO DAS EURICAGENS

O MAIS CHARMOSO DO PAÍS, SIM !!!

A chuva até que tentou, mas não conseguiu impedir o exemplo que veio a seguir. Não propriamente de técnica, é verdade, mas de democracia, participação, rivalidade sadia. O Maracanã, embora tão descaracterizado, superfaturado e inundado, vergou, mas conseguiu prosseguir e provar que continua sendo a MAIOR casa de espetáculos do país.

Clássico de verdade tem que ter estádio lotado e torcida dividida. Isso propicia uma energia diferente, uma expectativa diferente, um equilíbrio diferente, e uma emoção diferente. Aquela troca de provocações através dos cantos, os gritos de guerra, as encarnações após um gol, as gozações quando o perdedor começa a ir embora - tudo isso faz parte do espetáculo. 

Clássico regional com limitação de torcedores visitantes, até conceitualmente, fica descaracterizado. Cria uma atmosfera que transforma quase em obrigatoriedade a vitória do mandante, como se o jogo fosse contra uma equipe de fora.

Ainda bem que no Futebol carioca não segue este padrão. O Futebol Carioca NÃO PRECISA de convocação para torcedores adversários se sentarem lado a lado. Ele SEMPRE foi assim.

O Futebol Carioca também NÃO PRECISA de uma mídia trabalhando incessantemente para tentar convencer os incautos, que o campeonato de “lá” é o mais atraente. Ele é capaz de levar, em um só jogo, mais gente do que TODA a rodada do estadual mais divulgado do país, somado.

 O Futebol Carioca sempre viveu, e continua vivendo, de PAIXÃO. Por isso mesmo é O MAIS nacional dentre TODOS. Mesmo com São Pedro, mídia, FERJ e Euricos trabalhando contra, o Maraca continua capaz de bater recorde de público e dar EXEMPLO de democracia, festa, emoção e de charme.

E Charme não se consegue apenas escalando escravos de pontos eletrônicos, como os utilizados por esses FANTOCHES que vemos diariamente na mídia, limitados a falar de assuntos que seus DONOS os direcionam, para atrair uma restrita população de maior poder aquisitivo. Charme não depende de grana. Nasce-se com ele. E, ao contrário do de “lá”, o Futebol Carioca nasceu.

 

A CAMINHO DO BI

 

Foi uma GRANDE vitória, em um GRANDE jogo. Um jogo com a cara do Futebol Carioca. Mas confesso que estava preocupado antes e fiquei ainda mais depois. Por quê?

Porque, ao contrário do que cheguei a imaginar, a arbitragem foi perfeita, em todas as decisões, em todos os detalhes, do princípio ao fim. Mas seria isso motivo de preocupação? Não deveria, mas é e é fácil de entender o motivo.

No sábado, assistindo ao jogo do Flu, fui testemunha de um verdadeiro assalto a mão armada. Dois gols escandalosamente mal anulados, por um trio de arbitragem claramente mal intencionado. E antes que alguém se pergunte por que isto me incomodaria, já que a vítima é um clube especializado em falcatruas, respondo que foi por perceber mais uma escancarada “Euricagem”.

Pareceu tão claro o dedo dele ali, como na série de pênaltis arrumados que têm decidido jogos a favor de seu clube. Com isso, ele está conseguindo tirar um dos seus adversários (no campo e na Federação) do seu caminho no quadrangular final. Mas fica faltando o outro. Muito maior, mais poderoso e seu maior algoz. NÓS !

E depois de uma arbitragem tão corretinha, tão eficientezinha, tão direitinha, como a de domingo, bateu aquela suspeita (em forma de convicção), que “o que é nosso está guardado” e vai ser para as finais. O Nefasto é malandro bastante para não deixar transparecer sua influência em um jogo de pouca importância.

Ao contrário de descer das tribunas para impedir que seu time voltasse depois da paralização (obrigando a realização de uma nova partida começando do 0, como imaginei que faria), ao contrário de tentar interferir nas decisões da arbitragem numa partida que não decidia nada, estaria ele guardando seus cartuchos para os jogos finais? Receio que sim!

E, caso seja realmente essa sua intenção, e desconfio fortemente que é, vamos precisar nos valer de toda nossa superioridade técnica, de todo o nosso elenco disponível, de toda malandragem do nosso treinador, de todo o apoio da MASSA e passar por cima deles novamente. Só que de forma indiscutível, sem piedade, não dando chances para uma arbitragem influenciar o resultado.

No domingo passado fizemos barba, cabelo e bigode. Os vencemos no remo pela manhã, com a garotada na preliminar e com nossa equipe principal à noite. Mas, se pretendemos mesmo levar esse BI, estejam certos, vamos precisar fazer melhor ainda no quadrangular final.

 PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.