| Futebol

OBRIGADO POR ME FAZER FLAMENGO

As histórias que meu pai contava

Hoje não vou comentar sobre Muricy, Bandeira, Ferj ou qualquer outra coisa relacionada ao Flamengo atual. Peço licença aos amigos para voltar ao tempo e relembrar alguns times do passado.

Como o segundo tri campeonato de 53, 54 e 55 que entre os times desses anos uma escalação que sempre ouvi quando criança: Garcia, Tomires e Pavão; Jadir, Dequinha e Jordan; Joel, Rubens, Dida, Evaristo e Zagallo. Com algumas variações como Índio, Servílio, Paulinho, Benítez, Esquerdinha, dentre outros. A goleada sobre o América na partida decisiva do Tri com o show de Dida, e a forma que Yustrich comandava o time de maneira rígida.

Ouvi muito sobre um jogador que, apesar de nunca ter visto jogar acabei virando fã, Almir Pernambuquinho. Jogador raçudo que vestiu o Manto Sagrado como poucos. Sobre ele fiquei sabendo do gol que virou capa do jornal mais famoso da França, e que graças ao canal 100 pude ver aquilo que sempre ouvi, um jogador com a cara suja de lama fazendo um gol de cabeça contra o Bangu.

Também contra o Bangu eu descobri que Almir havia prometido que eles não dariam a volta olímpica sobre o Flamengo no Maracanã, e realmente eles não deram. Após uma confusão entre Ladeira e Paulo Henrique, Almir enfiou a porrada em Ladeira e começou a confusão, porém só o Almir foi expulso e acabou voltando para dar início à uma briga generalizada ao som de PORRADA vindo da torcida do Flamengo, o juiz expulsou nove jogadores e acabou o jogo, Bangu campeão, mas sem a volta olímpica.

Sobre ele ouvi diversas histórias, e uma melhor que a outra. Descobri também sobre outros jogadores como Silva, o Batuta. Fio que prometeu fazer um gol de calcanhar em Andrada e cumpriu. Ou sobre o gol que ficou famoso na voz de Jorge Benjor, e sobre como Fio levantava a magnética no Maraca.

Depois disso veio o esquadrão de 80 onde eu tinha um LP (os mais novos não vão saber o que é isso) com toda a campanha do brasileiro de 80, a Libertadores de 81 e claro o Mundial.

Teve também o Fla-Flu do Leandro onde eu tive que ser tranquilizado por meu pai e minha mãe por conta de chorar muito com o golaço do Leandro aos 40 e tantos minutos do segundo tempo em que vibrei e gritei muito abraçado com meu pai.

Em tempos que não tinha ainda internet no celular, e fazendo faculdade, quando não dava pra matar aula e assistir aos jogos, sempre recebia uma ligação com a voz do outro lado dizendo “Suderj informa” e meu pai me falando placar e autor do gol.

Uma outra lembrança foi a de ir com meu pai, irmão e mãe (todos vestindo o Manto) após o gol do Pet, em um botequim de um vascaíno e pedir porções de bolinho de bacalhau pra zoar o vice. A mais recente foi no tri da Copa do Brasil, onde meu pai com seus netos dançou no meio da rua comemorando os gols do Brocador.

Pois é, hoje é seu aniversário e resolvi prestar essa pequena homenagem ao homem que me fez ser Flamengo, obrigado pai, enquanto muitos faziam seus filhos dormirem com historias da carochinha, você me contava as histórias do Mengão.

 

Feliz aniversário e SRN!


Comentar pelo Site

2 Comentários
image

Cesar PortoHá 6 meses

Vai ter bolão? como fazemos para entrar?

image

Cesar PortoHá 6 meses

Esse foi o Flamengo que fez a Maior Torcida do Mundo. Hoje temos a que menos cresce, devido a falta de vergonha de dirigentes e jogadores. Parece o Congresso Nacional e o Poder Executivo.

Carregar mais