| Futebol

Olivinha explica alta distribuição de pontos no Fla: "Não tem egoísmo"

Números provam que, pela primeira vez na história do NBB, time não depende tanto de um jogador como em outras edições. Seis atletas têm mais de 10 pontos de média

Nas cinco edições anteriores do NBB, o Flamengo sempre apresentou um elenco forte, capaz de vencer a competição, algo que aconteceu em duas ocasiões (08/09 e 12/13). A prova disto, é que em todas elas, os cariocas chegaram pelo menos às semifinais. Porém, dentro do clube, há quem aponte o atual plantel como o mais completo de todos, onde as jogadas não são preparadas em função de um só jogador. Este tipo de avaliação tem o "aval" dos números.

Em quatro das cinco últimas temporadas, Marcelinho foi o destaque absoluto da equipe carioca, sendo o cestinha em todas as vezes, muito à frente dos demais companheiros. Em 08/09, quando o clube foi campeão nacional, o maior cestinha da história do Novo Basquete Brasil registrou a incrível média de 26.85 pontos por jogo, duas vezes mais do segundo colocado Bábby (13.06). No ano seguinte, o cenário se repetiu com o ala, que fez 25.95 pontos contra 12.57 de seu irmão Duda. No ano passado, sem o camisa 4, que passou por uma operação no joelho, Marquinhos assumiu a artilharia e repetiu a trajetória de Marcelinho ao anotar 20.28 pontos de média, algo muito superior à do pivô Caio Torres, que assinalou 13.06. Apenas em 11/12, a supremacia não foi tão latente, já que Marcelinho (20.59) dividiu, por seis rodadas, a responsabilidade de pontuar com Leandrinho (19) e, ao logo do campeonato, com o americano David Jackson, que foi o melhor segundo maior pontuador, até então, com 16.21 pontos de média (veja no quadro abaixo).

principais cestinhas flamengo nbb - tabela (Foto: Arte)Ao contrário de anos anteriores, números provam que o Flamengo não depende de um só jogador neste NBB (Foto: Arte)


Se a campanha atual faz lembrar às anteriores, o jeito de jogar mudou. Com seis atletas com média acima de 10 pontos, o líder da primeira fase demonstra uma boa distribuição de pontos e volume de jogo, que o transformou em segundo melhor ataque do torneio com 83.90 pontos/partida (o Brasília foi o primeiro com 85.86) e terceira defesa menos vazada (75.75). A artilharia pesada de Marquinhos, Marcelinho e Olivinha foi reforçada com Nico Laprovittola e Jerome Meyinsse, além de Benite, que só jogou três vezes, por conta de uma séria lesão. Em um elenco estrelado e certeiro, a falta de vaidade é apontada como a principal razão pela paridade de pontos.

- Eu credito isso à qualidade da nossa equipe. Nós temos um conjunto muito forte e estamos provando isso a temporada inteira. Quando as coisas não dão certo para um, outro jogador se destaca e foi assim durante toda temporada. Temos uma química muito forte, que vem dando certo até agora. Não tem egoísmo. O que estiver melhor posicionado vai fazer a cesta, não importa quem seja - avaliou Olivinha, quinto maior cestinha do time, com 12.60 pontos.

A nova formatação não passa por orientações ou jogadas ensaiadas nos treinos, mas sim pelas características de seus jogadores, incluindo os reservas, que vêm para o jogo e mantém o mesmo nível dos titulares, na visão do ala/pivô.

- Isso é uma coisa que não tem como treinar, é natural. Uma equipe de basquete é formada por 12 jogadores e não por um, dois ou três. Cada um sabe o seu papel na equipe e todos estão desempenhando muito bem. O pessoal que vem do banco, quando entra no jogo, mantém o nível ou até melhora. Acredito que a qualidade da equipe é muito grande e todos sabem o que fazer dentro de quadra - completou.

Olivinha Mogi das Cruzes e Flamengo Basquete (Foto: João Pires / LNB)Olivinha em ação contra o Mogi. O jogador teve média de oito pontos por jogo na série (Foto: João Pires / LNB)












Se na temporada regular, Marcelinho brilhou como o cestinha do time de José Neto, com média de 19 pontos, nos playoffs, o camisa 4 aparece bem marcado (11.8) e vai vendo Marquinhos (17.6), Laprovittola (13.3) e Meyinsse (13) assumirem a condição de colocar as bolas dentro do aro.

Para chegar ao tricampeonato da competição, na decisão com o Paulistano, neste sábado, às 10h15, na Arena da Barra, a torcida rubro-negra torce para que o plantel continue fazendo a diferença. O GloboEsporte.com acompanha Flamengo e Paulistano em Tempo Real, com pré-jogo a partir das 9h. A TV Globo transmite ao vivo.

Confira a pontuação dos cestinhas rubro-negros nesta temporada:

Marcelinho – 17,7 (35 jogos)
Marquinhos – 15,7 (24 jogos)
Benite – 15,3 (3 jogos)*
Laprovittola – 14,9 (35 jogos)
Olivinha – 12,6 (40 jogos)
Meyinsse – 12,3 (39 jogos)

*Contundiu-se após o terceiro jogo e teve que passar por uma cirurgia

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.