Ônibus alugado pelo Fla gera “saia justa” com patrocinadores; diretoria nega

Ônibus alugado pelo Fla gera “saia justa” com patrocinadores; diretoria nega

O Flamengo vem vivendo um momento conturbado desde a eliminação do clube no segundo turno do Campeonato Carioca para o Fluminense. De lá para cá, o time ficou mais de um mês sem vencer uma partida – quatro jogos: Fluminense, Botafogo, Santa Fe e Vitória – e quando conseguiu conquistar um triunfo, em cima do América Mineiro pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, parte da torcida criticou o fato do time ter ficado com quatro volantes ao fim do certame. Desde então, já tiveram dois protestos no aeroporto – um no embarque da delegação à Colômbia e outro no desembarque do time no Rio de Janeiro, após empate contra o Santa Fe, em Bogotá -, além de muros pichados – tanto da Gáveaquanto do Ninho. No entanto, nos bastidores do Mengão um fato curioso chamou a atenção: o motivo pelo qual o Fla trocou de ônibus.

Segundo informações do Uol Esporte, o elenco solicitou que houvesse a troca do veículo oficial do Mengão, pois os jogadores reclamavam que o ônibus – top de linha em 2013 – “quicava” bastante durante os caminhos entre o Centro de Treinamento Ninho do Urubu, o Maracanã e os aeroportos do Rio de Janeiro.

Porém, de acordo com apurações do jornalista Vinicius Castro, a opção por agradar a delegação rubro-negra acabou criando uma “saia justa” com os patrocinadores, isso porque as marcas não aparecem na pintura do transporte alugado pelo Mais Querido. Os trajetos são extensos, com média de 45km a 50 km. A duração dos deslocamentos é superior a uma hora.

Em contato do Coluna do Flamengo com a diretoria do Flamengo, as informações que circulam são falsas. A exigência da mudança, de acordo com Vinicius Castro, teve o aval da diretoria e do ex-diretor executivo Rodrigo Caetano.