| Futebol

Pacotão do Fla: homenagem aos pais, pancada à Neymar e jogada repetida

Rubro-negros vencem Sport com gol parecido ao que garantiu vitória sobre Botafogo, Paulinho leva joelhada nas costas e atletas entram com pais em campo no Maracanã

 

O jogo esteve longe de ser um espetáculo, o resultado distante de encher os olhos da torcida, mas o primeiro gol de Eduardo da Silva pelo Flamengo teve um significado especial não apenas para o jogador. Para o time, a vitória por 1 a 0 quer dizer dias de menor turbulência antes de um confronto direto na luta para deixar a zona de rebaixamento, no próximo domingo, contra o Coritiba, em Curitiba. O Flamengo fez ainda uma homenagem ao Dia dos Pais. Os jogadores do clube entraram em campo ao lado dos pais e usaram seus nomes nos uniformes para enfrentar o Sport, no Maracanã.

Antes do gol que tirou os rubro-negros da lanterna do campeonato, os 42 mil presentes no estádio viram, além da dificuldade do Flamengo para criar chances de gol, lances de emoção, como a saída precisa do goleiro Paulo Victor, quando poderia ser encoberto. E de tensão, como a discussão dos jogadores no segundo tempo ou a entrada por trás recebida por Paulinho nos últimos minutos da etapa inicial, lembrando o lance que tirou Neymar da Copa do Mundo.

O gol da vitória, de Eduardo da Silva, aos 39 minutos do segundo tempo, remete a outro lance parecido, que salvou os rubro-negros em outra partida importante, o clássico contra o Botafogo, no dia 27 de julho. Na ocasião, o mesmo João Paulo cruzou para cabeceio de Alecsandro, garantindo a vitória por 1 a 0. A jogada pela esquerda, contudo, é uma das poucas que o time vem conseguindo executar com eficiência.

01

homenagem aos pais

 

Os jogadores do Flamengo atuaram neste domingo, contra o Sport, no Maracanã, com uma homenagem nos uniformes em razão do Dia dos Pais. Cada jogador usou na camisa, na parte traseira, abaixo do número, o nome de seu pai. Os pais dos atletas também os acompanharam na entrada em campo.

01

saída precisa

 

A defesa do Flamengo cochilou, o ataque do Sport tocou a bola como quis e o rival só não abriu o placar no Maracanã por conta da saída precisa de Paulo Victor, aos 39 minutos do primeiro tempo. Augusto tentou o toque por cobertura, mas o goleiro conseguiu desviar pela linha de fundo e manter o 0 a 0 no placar.

01

déjà vu?

 

Um lance no fim do primeiro tempo assustou a torcida rubro-negra. Paulinho, jogador mais voluntarioso do ataque, ficou caído no gramado mesmo depois do apito sinalizando o fim da etapa e deixou o campo rumo ao vestiário acompanhado do médico do clube, Márcio Tanure. Ele sentiu as costas por conta de uma joelhada, em lance que lembra, embora com intensidade diferente, a entrada do colombiano Zúñiga que tirou Neymar da Copa do Mundo de 2014. Paulinho, no entanto, voltou para o segundo tempo.

01

Tensão

 

Ataque do Flamengo, jogada disputada, e Eduardo da Silva vai ao solo, abrindo os braços, ao tentar o giro entre dois rivais. A zaga do Sport não perdoou. Enquanto os rubro-negros pressionavam por um pênalti, os zagueiros reclamavam com o atacante. Éverton chegou para defender o companheiro, empurrou o lateral-esquerdo Renê e começou a discussão que, contudo, não teve maiores desdobramentos.

01

jogada repetida

 

O gol que salvou o Flamengo no Maracanã neste domingo não chega a ser uma novidade para a torcida. Em outro sufoco no estádio, os rubro-negros conseguiram a vitória no clássico contra o Botafogo em lance muito parecido, também em cruzamento de João Paulo pela esquerda para gol de cabeça de Alecsandro (veja o lance aqui). No dia 27 de julho, porém, o gol da vitória saiu no primeiro tempo. Desta vez, o substituto de André Santos colocou na cabeça de Eduardo da Silva, que marcou pela primeira vez com a camisa do clube aos 39 da etapa final.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.