| Futebol

Pacotão: rodada#24 tem sarrafo em Everton, mico santista e caneta tricolor

Além do gol contra de Cicinho, meio de semana também fica marcado por golaço de promessa do Santos e chance incrível perdida por William Henrique, do Vitória

No Morumbi, as atenções estavam voltadas para o Quarteto Fantástico do São Paulo: Ganso, Kaká, Alexandre Pato e Alan Kardec. No entanto, quem roubou a cena no empate entre São Paulo e Flamengo, por 2 a 2, na quarta-feira, foi a arbitragem. Foram dois pênaltis marcados a favor do anfitrião, o segundo assinalado de maneira equivocada pelo árbitro André Luiz de Freitas Castro. Bem no começo do segundo tempo, a bola bate no braço do zagueiro Samir fora da área, mas o juizão aponta para a marca da cal e marca a penalidade inexistente a favor do Tricolor Paulista, o erro da rodada#24 do Brasileirão. Pelo menos, o homem do apito acertou ao mostrar o cartão vermelho para Michel Bastos por um carrinho violento em Everton, o sarrafo do meio de semana.

Quem também se destacou por um lance negativo foi Cicinho, do Santos, que ficou com o mico da rodada por ter feito um gol para o Atlético-MG, que venceu por 3 a 2, no Independência. Por outro lado, seu companheiro de time Geuvânio merece aplausos. Após lançamento de Arouca, o jovem atacante dominou com a canhota dentro da área, deu um corte em Josué e de pé direito mandou com efeito para o fundo da rede. Um golaço!    

INFO pacotão da rodada 24 (Foto: Globoesporte.com)





Header pacotão GOLAÇO (Foto: Editoria de Arte)




Uma das grandes joias da base do Santos, Geuvânio mostrou contra o Atlético-MG parte de seu repertório. Substituto de Robinho, que deixou o duelo no intervalo, o camisa 45 assinou uma pintura. Após receber passe de Arouca, o atacante, dentro da área, cortou para o meio, e, com o pé direito, mandou a bola no canto esquerdo do goleiro Victor. O tento foi o segundo do Peixe na derrota para o Galo

Header pacotão MICO (Foto: Editoria de Arte)



Já o lateral-direito Cicinho não vai ter boas lembranças do duelo entre Atlético-MG e Santos. Em velocidade, o santista tentou cortar o cruzamento de Marcos Rocha  com o pé esquerdo, mas mandou a bola contra a própria meta, marcando o segundo gol do Galo no confronto. Após marcar o tento contra o seu time, o lateral ficou desolado e foi consolado pelos companheiros de time.

Header pacotão DRIBLE (Foto: Editoria de Arte)


Uma das armas ofensivas do Fluminense desde 2012, o lateral-direito Bruno mostrou muita técnica no empate sem gols entre o Tricolor carioca e o Grêmio no Maracanã.  Aos 29 minutos da primeira etapa, o camisa 2 do Flu aplicou uma linda caneta no gremista Luan, 
que tentou se recuperar na jogada, mas o tricolor já havia passado.

Header pacotão ERRO (Foto: Editoria de Arte)


No empate entre São Paulo e Flamengo, o árbitro André Luiz de Freitas Castro assinalou dois pênaltis para o Tricolor Paulista, mas errou na marcação da segunda infração. Após lançamento, o zagueiro Samir, fora da área, toca levemente com o braço na bola e o árbitro marca a penalidade equivocadamente. Na cobrança, Rogério Ceni chuta no canto esquerdo de Paulo Victor, que faz a defesa.

Header pacotão SARRAFO (Foto: Editoria de Arte)



O árbitro André Luiz de Freitas Castro errou ao marcar a segunda penalidade para o São Paulo, mas acertou ao expulsar o lateral-esquerdo Michel Bastos. Aos 28 da segunda etapa, o camisa 7 do Tricolor Paulista recebeu o cartão vermelho após dar um carrinho violento e machucar o rubro-negro Everton, que foi substituído. .

Header pacotão GOL MAIS PERDIDO (Foto: Editoria de Arte)




Fora de casa, o Vitória visitou o Palmeiras e perdeu por 2 a 0. O atacante William Henrique perdeu uma chance de ouro, que geraria o primeiro gol do Leão no duelo. Após desvio de cabeça de Dinei, o atacante, sem marcação, tenta chutar de canhota na saída de Deola e manda por cima do travessão palmeirense. 

HEader Pacotão defesa (Foto: Editoria de Arte)



Em casa, a Chapecoense bateu o Atlético-PR por 3 a 0 , mas poderia ter até feito mais gols se não fosse o goleiro Weverton. Aos 13 da segunda etapa, o arqueiro atleticano fez uma defesaça e impediu que Bruno Silva anotasse o seu segundo no duelo. Após cruzamento da esquerda, o volante subiu mais alto do que a defesa e cabeceou com firmeza. Weverton, com extrema agilidade, voou no canto direito para operar no milagre na Arena Condá.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.