| Futebol

Parte psicológica do Fla preocupa Wallace: "Ao tomar gol, fica abalado"

Jogador afirma ainda que time de 2014 é inferior no aspecto psicológico em relação ao do ano passado, mas superior tecnicamente

Wallace, Treino do Flamengo (Foto: Carlos Mota / Globoesporte.com)Wallace vê time do Fla com dificuldade no aspecto psicológico (Foto: Carlos Mota / GloboEsporte.com)

Os problemas do Flamengo em 2014 vão além do campo de jogo. Para o zagueiro Wallace, há uma queda no psicológico da equipe, especialmente após a eliminação da Copa do Brasil para o Atlético-MG (4 a 1 para o Galo no Mineirão, após vitória do Fla por 2 a 0 no Maracanã) e do empate em 2 a 2 com o Sport, no domingo, na última rodada disputada do Brasileirão.

Na visão do jogador, o problema apenas ficou mais visível nestes últimos dois jogos nos quais reações dos adversários foram permitidas pelo Flamengo em situações que pareciam controladas a seu favor. Antes mesmo, durante o Campeonato Brasileiro, ele já havia percebido como time se abalava em determinados momentos.

- Isso é muito particular de cada jogador. Com uns mais, outros menos. Depende da maturidade, de ter um pouco mais de atenção. Posso falar por mim, não pelos demais. No meu modo de ver, ao longo da competição, sempre que o time sofria um gol, ficava abalado. Foi assim com Palmeiras, São Paulo... Contra o Atlético-MG sentimos muito a parte psicológica quando levamos o segundo gol. É meio rotineiro. Aqui, tem que ser forte, ou então vai sofrer - avaliou.

Sempre que o time sofria um gol, ficava abalado. Foi assim com Palmeiras, São Paulo... Contra o Atlético-MG sentimos muito a parte psicológica quando levamos o segundo gol. É meio rotineiro. Aqui, tem que ser forte, ou então vai sofrer
Wallace

Campeão da Copa do Brasil em 2013, ele chegou até a fazer uma comparação entre os dois times. Para Wallace, o deste ano é superior tecnicamente, mas perde na parte psicológica.

- O time do ano passado tinha jogadores mais rodados. Elias, André Santos, até o Hernane na fase em que estava. Houve muita mudança, questão de lesão, isso e aquilo. Mais uma vez, não gosto de falar de forma individual. Ano passado, no aspecto psicológico, o time era mais forte, mas tecnicamente o deste ano é melhor - disse.

No elenco atual, há oito jogadores com contrato encerrando no fim do ano: Léo Moura, Chicão, Marcelo, João Paulo, Pico, Márcio Araújo, Nixon e Arthur. Faltam apenas cinco rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro. No entanto, Wallace acredita que a decisão sobre eles já está tomada.

saiba mais
  • Wallace reforça discurso de Luxa e
    diz: "Em dois anos aqui, envelheci 10"

- São cinco jogos que podem mudar a vida, como também não. Ao longo da temporada, talvez não tenha passado um treinador tão democrático quanto o Vanderlei. Falo por mim, pois já fui assim, pois o jogador tem mania de achar técnico sacana, que não tem oportunidade. A maioria teve, certo ou errado, mas teve. Quem mostrou, a diretoria já tem noção de quem deve ficar, assim como a comissão. Esses cinco jogos podem mudar, mas o importante é durante a competição. É ver técnica e psicologicamente, quem é homem acima de tudo. Dói porque a gente faz amigos. Cada um segue seu rumo - finalizou.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.