| Futebol

Paulo Victor fala de briga por vaga no gol do Fla e cita exemplo de Grohe

Goleiro do Rubro-Negro carioca aguarda decisão de Ney Franco sobre quem será titular da meta da equipe, cita o colega do Grêmio e comenta os goleiros da Copa

Aos 27 anos, Paulo Victor ainda busca se firmar como titular do gol rubro-negro. A disputa pela posição com Felipe é evidente, e diária. Apesar de passar bastante tempo na reserva, já teve chances no time e barrou o concorrente em outras ocasiões. Agora, com a chegada de Ney Franco, recebeu oportunidade nos três últimos jogos antes da parada para a Copa do Mundo. Com a lesão de Felipe na viagem para Atibaia (machucou a costela), ele acredita que é o momento de se firmar de vez no clube e cita o gremista Marcelo Grohe como exemplo.

- Procuro pegar exemplos bons. O Marcelo Grohe ficou oito anos na reserva do Grêmio, trouxeram o Dida, ele soube esperar mais um ano e hoje é titular do Grêmio com destaque - disse o goleiro.

A gente não sabe o dia de amanhã, são nove anos e meio de Flamengo, e quase nove de profissional. É muito tempo"
Paulo Victor

Paulo Victor sabe que se a diretoria for atrás de Julio César, titular da seleção brasileira na Copa do Mundo, irá perder espaço na equipe. O goleiro mesmo elegeu o brasileiro como o melhor do Mundial até agora e não poupou elogios ao camisa 12 do Brasil. Além disso, lembrou de quando trabalhou com o colega, por apenas dez dias, em um período de treinos no Ninho do Urubu.

- O Julio César aqui seria fantástico. Quem não queria ter um grande goleiro? A gente sabe das nossas qualidades, mas temos que saber que ele é um goleiro acima da média. Busco o meu espaço, hoje as coisas estão acontecendo, mas ele é um goleiro titular de Copa do Mundo na seleção brasileira. Seria um orgulho enorme poder trabalhar com ele um dia. Quando eu cheguei (no Flamengo), fiquei um ano só na base e fui para o profissional. O Julio César tinha acabado de ser vendido. Mas tive a oportunidade de treinar uns dez dias com ele no CT, quando estava de férias.

Paulo Victor em coletiva do Flamengo (Foto: Raphael Bózeo)Paulo Victor em coletiva do Flamengo no Ninho do Urubu (Foto: Raphael Bózeo)

Confira os principais tópicos da entrevista de Paulo Victor:

Disputa com Felipe
- Eu respeito, a gente não precisa conversar. É o trabalho, o dia a dia, as palavras que são usadas, é o que mais vale. Cabe a decisão do Ney Franco, a gente tem que respeitar ele.

Exemplo de Marcelo Grohe
- Você com as críticas tem que ter o seu pensamento. Procuro pegar exemplos bons, o Marcelo Grohe ficou oito anos na reserva do Grêmio, trouxeram o Dida, ele soube esperar mais um ano e hoje é titular do Grêmio com destaque. Às vezes as pessoas falam que está na hora de sair, mas eu procuro manter o foco. Eu que tenho que saber, não as pessoas. E dar exemplos bons como esse é legal, ele tem a minha idade, por exemplo.

Paulo Victor e Ney Franco (Foto: Raphael Bózeo)Paulo Victor recebe orientação de Ney Franco nesta quinta-feira (Foto: Raphael Bózeo)

Relação com a torcida
- Unanimidade é muito difícil. Mesmo sendo cria da base vai ter torcedor que eu não vou agradar. Respeito, tomo as críticas como incentivo. E sei que a torcida tem um carinho muito grande por mim. Já estou há mais de oito anos no Flamengo, se precisar ficar mais oito, vou ficar. O atleta precisa disso, confiança que o torcedor transmite. Vou trabalhar ainda mais para que os torcedores que não agrado, no futuro possam torcer por mim também.

O Julio César aqui seria fantástico. Quem não queria ter um grande goleiro? A gente sabe das nossas qualidades, mas temos que saber que ele é um goleiro acima da média"
Paulo Victor

Carreira
- A gente não sabe o dia de amanhã, são nove anos e meio de Flamengo, e quase nove de profissional. É muito tempo, e deixo na mão de Deus. Trabalho dia a dia para isso. Agradeço muito o Flamengo por tudo. A gente não sabe o dia de amanhã, mas o foco está no Flamengo agora.

Goleiros na Copa
- Isso foi até um comentário nosso no treinamento, que o diferencial tem sido os goleiros. O Julio César é um grande goleiro, minha referência, tem feito a diferença. Você vê também o do México (Ochoa) se destacando. Isso é bom para o nosso lado, mostra a evolução dos goleiros hoje em dia, jogando com os pés, fazendo boas defesas. Isso valoriza mais. Antes só se olhava para os meias e atacantes que faziam gols.

Referência na posição
- Sou fã do Marcos, mas não posso deixar de falar do Rogério Ceni e do Julio César também, que são goleiros fantásticos. Mas sempre acompanhei o Marcos, desde pequeno. O futebol mundial tem que agradecer ao Rogério Ceni, porque ele que começou a usar muito os pés dessa forma. E o Julio é outra referência, jogou no Flamengo e temos que agradecer a ele.

O melhor arqueiro da Copa
- Julio César.

*Por Raphael Bózeo, estagiário

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.