Perito de defesa de Guerrero: 'Ficou claro que ele não usou cocaína`

Perito de defesa de Guerrero: 'Ficou claro que ele não usou cocaína`

Suspenso por 14 meses, Paolo Guerrero não utilizou cocaína de forma recreativa e provavelmente através da ingestão acidental de chá que continha a substância proibida. A informação é de L. C. Cameron, Chefe do Laboratório de Bioquímica de Proteínas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, e que foi perito de defesa do jogador no julgamento em Lausanne, na Suíça, no dia 3 de maio, que tirou o peruano do gramados por mais oito meses - além dos seis meses já cumpridos.

Segundo Cameron, o perito da FIFA também concordou em quase 95% dos que foi postulado em defesa do jogador. Ele e o profissional da entidade máxima do futebol testemunharam juntos perante a Corte Arbitral do Esporte e a conclusão de que Guerrero não de dopou de forma proposital foi comprovada cientificamente.

- Sou bioquímico e fui perito da defesa. Foi um julgamento cansativo, longo, no qual só participei do meu depoimento junto com o perito da FIFA. Fizemos nossa analise e concordamos em 95%. Ele concordou que a causa provável o doping foi um chá, não de forma recreativa. E sim em um gestão acidental de chá - comentou o perito, exclusivo ao Lance!

"Foi um julgamento cansativo, longo, no qual só participei do meu depoimento junto com o perito da FIFA. Fizemos nossa analise e concordamos em 95%. Ele concordou que a causa provável o doping foi um chá, não de forma recreativa"

Para Cameron, uma pessoa comum não consegue discernir o que pode ser proibido ou não, especialmente quando a presença está em alimentos e não em medicamentos. Como efeito de comparação o especialista usou outros tipos de exemplo para justificar que Guerrero não foi negligente, mas sim, que não tinha conhecimento do que poderia acontecer com a ingestão de tal chá e nem que poderia enquadrá-lo em um resultado analítico adverso.

- Imagina se você é um atleta e está na concentração e toma um chá que foi recomendação da comissão técnica. Foi um chá feito sob a responsabilidade da Federação Peruana, como você vai imaginar que este chá possa ter contaminação? Para mim foi completamente acidental.

O perito justifica, através das análises feitas, que a ingestão de algum produto que metabolizado chegou a substância benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, em sua urina, comprovam que Guerrero não fez uso recreativo de qualquer droga proibida. Foram analisadas de fios de cabelo do jogador, que comprovam sua inocência neste sentido.

- Na verdade, a concentração do metabólito que estava na urina era baixíssima e por isso consideramos o uso do chá como a origem da substância mais provável. Uma vez que ele estava com a seleção. Alguém deu para ele esse chá inadvertidamente. A prova cabal disso é a análise do cabelo e não tinha qualquer traço de metabólitos. A parte técnica, no que diz a ciência, ficou clara que ele não ingeriu cocaína - detalhou.

"Imagina se você é um atleta e está na concentração e toma um chá que foi recomendação da comissão técnica. Foi um chá feito sob a responsabilidade da Federação Peruana, como você vai imaginar que este chá possa ter contaminação? Para mim foi completamente acidental"

Por fim, Cameron acredita que a decisão da Corte Arbitral do Esporte, no seu entender, não foi baseada apenas nos laudos científicos, e sim por ter sido entendido pela corte que houve certa negligência do camisa 9 do Flamengo, como atestado no comunicado à imprensa publicado pelo TAS em 14.05.2018.

- Ao meu ver, foi considerado o fato que ele foi negligente pelo simples fato dele ser peruano, porque lá toma-se muito esse tipo de chá. Não posso falar com propriedade disso. Parece-me não ter sido uma decisão baseada na parte científica, tanto que eles não questionam o laudo técnico, nem a FIFA durante a audiência. O perito deles só discordou de mim em pequenas coisas. Penso que a questão foi mais por opinião do que a Corte pensava. Acho que foi muito bem aceito que não foi ingestão de cocaína, mas ao que parece eles acharam por bem que ele deveria ser punido - sacramentou.

Com a suspensão de 14 meses, Guerrero terá que ficar fora dos gramados por mais oito meses, já que cumpriu seis de novembro do ano passado até maio deste ano. Com isso, o atacante está fora do Copa do Mundo e não irá mais atuar pelo Flamengo, já que seu contrato encerra-se no próximo dia 10 de agosto.