Perto do primeiro título no Fla, Zé tenta manter equilíbrio e passá-lo para o time nas decisões

Perto do primeiro título no Fla, Zé tenta manter equilíbrio e passá-lo para o time nas decisões

Zé Ricardo nem completou um ano em seu primeiro trabalho como profissional à frente do Flamengo e está perto de seu primeiro título. A vitória sobre o Fluminense foi, como as outras, comemorada de forma comedida. Não somente pela proximidade de outro jogo decisivo, quarta-feira, pela Libertadores, nem pela vantagem pequena de 1 a 0. O novato no cargo chegou como solução interina para substituir Muricy Ramalho, e desde então precisa provar seu valor a cada semana. Por isso, a afirmação é constante, sem espaço para muitos sorrisos.

- O sentimento é de responsabilidade. Não tem como trabalhar com alto rendimento e tamanha visibilidade com tempo para relaxar, pelo calendário também. As cobranças e os momentos são tão distintos, a gente só tem que ter equilíbrio. Quando não tirar o melhor, não pode entrar em desespero, e se consegue tirar, ter um dia feliz, não se sentir de forma ansiosa, com muita volúpia. Equilíbrio é a palavra de ordem para mim - resumiu.

O técnico comemorou a vitória sobre o Fluminense de forma tranquila. Destacou que o time sofreu de forma confortável quando foi pressionado, e soube reagir na hora certa.

- O grupo está bem e em evolução, mas podemos melhorar. Quando se chega a um nível o detalhe faz a diferença. Isso ficou provado hoje. Soubemos sofrer no início e no final. Entendemos que deveríamos ter conforto naquele sofrimento para reagir. Tivemos contra-ataques que poderiam ter levado a um placar maior. Esperamos quarta não sofrer tanto - completou Zé, projetando outro jogo na Libertadores.

Para o comandante rubro-negro, o Flamengo terá novamente obrigação de ganhar em casa e enfrentará a Universidad Católica querendo vencer fora.

- São cenários diferentes, mas não acredito que a Catolica espere muito, porque tem a característica de jogar. A gente tem a obrigação de vencer em casa, isso tem feito diferença. Tem que ter equilíbrio e paciência para ocupar os espaços. O equilibrio defensivo deve ser o comportamento mais importante, acredito - falou Zé, recorrendo a sua palavra de ordem novamente.