| Futebol

Planejando os próximos passos

flameng - Planejando os próximos passos

Maio chegou ao fim, meus amigos, e com ele a nossa participação na libertadores. Trágico, mas não é o fim. Já externei minha opinião noutras ocasiões, não vou repetí-las nestas linhas. O que deve ficar claro é que esta coluna se legitima, exclusivamente pelo clube de regatas Flamengo e, embora não devamos deixar de aprender com os erros do passado, temos que olhar adiante, visto que o tema seja o calendário mensal deste que alimenta as nossas esperanças.

Falando bem sinteticamente para não entrar na seara religiosa, há um midrash judeu em que num diálogo com seu discípulo um mestre conclui: – “Tantas vezes você cair, deve levantar. Até que chegue a hora e esta hora te encontre de pé”. Completamente adaptada a nossa situação e esvaziada do conteúdo religioso. Não é patrulhamento religioso. Nem mesmo sou judeu e me desculpem aqueles que se incomodarem. Mas me ajuda a olhar o que ainda está por vir e parar de lamentar. A hora vai chegar!

Mas vamos ao objeto do texto. Fizemos exatamente 8 jogos em maio. Ganhamos 4, empatamos 3 e perdemos 1, o mais importante. Fizemos 13 gols e tomamos 7. Levamos 11 cartões amarelos. A base foi aproveitada em 6 jogos. Sávio em 6, Voinícius Jr em 3, Paquetá em 2 e Ronaldo e Vizeu em 1. Fizemos um jogo com reservas e ainda assim Thiago e Léo Duarte não entraram.

Os destaques ficam para o iluminado Rodinei, que foi o artilheiro do mês com quatro gols, um a mais que Guerrero. O número de cartões diminuiu, mas ainda se destaca Pará que conseguiu levar três, por três competições diferentes, menos mal. O aproveitamento é de 62,5%. Pouco para as nossas pretensões. Para corrigir isto temos que empatar menos.

É imprescindível destacar a quantidade de gols sofridos. Dos sete, cinco foram de cabeça e com participação de Rafael Vaz. Não é caça as bruxas, mas temos que repensar o treino de bolas aéreas.

A impressão é que o time sentiu demasiada falta de seu articulador e dono do sorriso de Thigu Soares. É compreensível depender de quem tem muito talento, mas precisamos mudar isto. Até porquê, já temos amostra de depender de quem não tem talento.

O mês de junho terá jogos no meio e no fim de semana sempre. No calendário da CBF, antes do sorteio dos confrontos, o jogo de ida das quartas de final da copa do Brasil acontecerá no dia 28. Portanto aquela competição que ficou interessante devido à nossa queda, acontecerá já no fim do mês. Aguardamos o adversário.

A Sulamericana ainda não foi definida e voltaremos a falar dela para o mês de julho. Não podemos esquecer que Trauco e Guerrero vão desfalcar o time em até três jogos. Contra Sport, Avaí e Ponte. Oportunidades para Renê e, Deus queira, Vizeu. Nas próximas datas Fifa o campeonato brasileiro vai parar, se serve de consolo.

Serão cinco jogos fora, um deles contra o Fluminense, o da Copa do Brasil ainda por definir. Estaremos no Rio contra Botafogo, Fluminense e Ponte preta; fora contra Sport, Avaí, Chapecoense e Bahia, podendo ter mais um pela CB. Se fizermos a mesma quantidade de pontos que maio estaremos até bem e somaremos 15 pontos no próximo mês. Com a chegada de Conca e a possível contratação de Everton Ribeiro essa realidade tende a melhorar, mas o ideal é subir um pouco a pontuação. Precisaremos de ousadia se quisermos ser campeões e é vital criar gordura agora, para quando afunilar às fases mais densas da sulamericana e Copa do Brasil.

O jogo contra o Botafogo tem que ser encarado como uma final. Se for na ilha então… Teremos uma semana para treinar e isso deve ser demonstrado em campo. Sport e Avaí fora de casa devem somar 4 pontos para nós. Vitória contra a Ponte em casa. O jogo contra o Fluminense, por ser um clássico, pode gerar um empate. Perdoem-me, mas precisamos de vitória contra chapecoense e Bahia. Portanto 17 pontos nos permitem sonhar com o título. Note que este mês não há espaço para derrota. Os adversários mais fortes que vamos enfrentar, já vencemos no cariocão. Claro que é uma expectativa otimista.

Não quer dizer que uma derrota ou empate contra equipes que pensávamos vencer seja um desastre, mas isso mudaria um jogo em que poderíamos empatar e teríamos que transformá-lo em vitória. O importante é elevar o aproveitamento e consertar as falhas na defesa. Levamos gol nas duas rodadas do brasileiro já.

Vai pra cima deles, Mengo!

Anderson Alves, O otimista.
Follow @alvesotimista

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/05/planejando-os-proximos-passos/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.