| Futebol

POR QUE NÃO ?

DEPENDE DE QUEM VIER, SE É QUE VEM !

 

A constância com que vencemos o Carioca nos últimos anos faz com que muitos já não olhem para ele com o mesmo interesse. Mas quem mora aqui no Rio sabe o tamanho da euforia dos vascaínos, após o final da partida de domingo. No tal campeonato que (para esses muitos) “NÃO VALE NADA”, foi batido o recorde de público no Maracanã, e no país, sem que o Flamengo estivesse presente. Então é porque deve VALER!

Se Estadual não valesse nada, não assistiríamos a todas essas invasões, depredações e porradarias, protagonizadas por torcedores dos finalistas dos Estaduais pelo país inteiro. E se realmente não tinha valor, e só serviria como preparação para o Brasileiro (como CANSEI de ouvir), por que então todas essas críticas ao nosso desempenho da mídia e de alguns dos nossos torcedores?

Tem torcedor do Flamengo parecendo aquele cara que namora uma tremenda gata há anos e se permite não lhe dar mais a devida atenção. Aí, quando aparece um malandro e toma ela dele, fica choramingando pelos cantos, reclamando de tudo e se sentindo infeliz.

Um mínimo de coerência, gente!

Ganhou aquele que foi previamente estabelecido, escolhido, acordado, combinado, acertado e manipulado para ganhar. Simples assim!  Mas a lona desse CIRCO já foi retirada e agora vai começar o que realmente nos interessa.

Nosso elenco pode não ser a 8ª maravilha do mundo, mas NENHUM dos 19 concorrentes o é. Está na média dos melhores e (dependendo de quem vier) pode perfeitamente surpreender os mais descrentes e disputar o caneco. O problema é que TÁ DIFÍCIL resolver esse “dependendo de quem vier”.

Penso que, mais até do que um meia e um matador de verdade, precisamos de um líder dentro de campo. Alguém que comande, oriente, organize, e pense o jogo. Que cadencie, na hora que for preciso cadenciar, e acelere, na hora que precisar acelerar.  Em uma competição com duração de oito longos meses, não há como se jogar acelerando o tempo todo (como temos tentado fazer), duas vezes por semana. Se a musculatura dos nossos jogadores já deu sinais de esgotamento em um simples Carioca, já imaginaram em uma competição incomparavelmente mais longa e difícil?

Mas nossos problemas não se resumem a ausência de um meia, um matador ou apenas de um líder. Temos outros, até mais preocupantes, que exigirão um planejamento minucioso e CORAGEM para assumir riscos. Como, por exemplo, o fato de não termos estádio para atuar, em praticamente todo o ano de 2016.

Digamos que consigamos nos classificar para a Libertadores do ano que vem. Será que teremos alguma chance de conquistá-la, perdendo nosso diferencial, diminuindo consideravelmente a pressão sobre os adversários e levando nossas partidas para fora do Rio? Onde vamos mandar nossos jogos? Será que disputando a maior parte de um Brasileiro (novamente) sem podermos nos valer da nossa casa (e nem ao menos do Engenhão), conseguiremos vaga para a Libertadores em 2017? Compensará o investimento em um elenco de ponta (como nos está sendo prometido para 2016), sendo obrigados a jogar o ano inteiro em Macaé ou Volta Redonda? Sendo assim, a possibilidade é grande de sermos obrigados a adiar, para o distante 2018, o sonho de participar com chances reais de conquista de uma Libertadores?

Até quando a MAIOR POTÊNCIA ESPORTIVA desse país e seus torcedores, por consequência, continuarão sendo GRAVEMENTE prejudicados por atitudes grotescas da Federação do RJ ou por políticos inescrupulosos, famintos pela realização dessas recorrentes obras superfaturadas no nosso palco principal, para financiar suas campanhas? Melhor então seria voltarmos a ser patrocinados pela Petrobrás. Teria absolutamente TUDO a ver !!!

Será que não seria uma boa opção (financeira e esportivamente falando) disputar a Copa do Nordeste e colocar uma equipe secundária para disputar o Carioca do ano que vem? Embora nossa Diretoria esteja trabalhando com essa possibilidade, sinceramente, não sei se os clubes do Norte e Nordeste concordariam. Poderiam alegar que, geograficamente, não somos locais, tentando esconder o receio diante da grande desproporção de forças, no campo e nas arquibancadas.

Mas, caso concordassem, tenho CERTEZA que obrigaríamos o tal Consórcio Maracanã a entender a importância de um acordo vantajoso para AS DUAS PARTES na próxima negociação, jogaríamos para estádios lotados em todas as partidas, e (talvez o mais importante de tudo) manteríamos acesa a chama da paixão, em uma Região do país que visitamos tão pouco, apesar de ser A GRANDE responsável por termos A MAIOR TORCIDA DO MUNDO.

POR QUE NÃO, ENTÃO?

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.