Posição na última partida é a mesma de Paquetá nos tempos da base

Posição na última partida é a mesma de Paquetá nos tempos da base

Lucas Paquetá ganhou a confiança da torcida do Flamengo com grandes atuações como meia-atacante. Entretanto, na última partida do RUbro-Negro - a vitória sobre o Nova Iguaçu, em Brasília, por 1 a 0 - o jogador foi colocado como segundo volante. E o bom desempenho na função tem um explicação: ele já atuava assim nos tempos das categorias de base e com Zé Ricardo, hoje treinador do arquirrival Vasco.

- Carpergiani pede mais recomposição no meio. Importante é fazer essa função bem feita e com a bola temos que jogar, com alegria e personalidade. É isso que precisamos fazer. A posição que joguei no último jogo era a que jogava na base com o Zé. Me adapto bem. O Paulo fala que, independentemente do jogador, o importante é a função - comentou o jovem.

O garoto ainda aproveitou a oportunidade para falar como são as conversas do treinador com os jovens. Hoje, o elenco do Flamengo tem contado - e muito - com as promessas oriundas das categorias de base rubro-negra.

- O professor Paulo, como ele gosta de ser chamado, passa muita confiança. Conversa bastante com nós mais jovens. A responsabilidade é a mesma, independente da idade e ele deixa bem claro para a gente - contou.

O Flamengo volta a campo no sábado, pelas semifinais da Taça Guanabara, contra o Botafogo. Apesar do Fla viver melhor momento, Paquetá garantiu que não existe favorito para este confronto.