| Futebol

Precisamos reagir no campo

Regar a planta

"Um dia, quando se mergulhar de verdade nos fatores que historicamente ajudaram a consolidar a integração nacional, o Flamengo terá de ser incluído." Ruy Castro Escritor e Biógrafo.

 
A cada dia, cresce mais a indignação da Nação Rubro-Negra com setores da Grande Mídia, por tentarem elevar o Corinthians como o clube de maior popularidade do Brasil.
Além das pesquisas manipuladas, proliferam-se notícias e comentários tentando sempre desmerecerem o clube da Gávea, que indiscutivelmente detem a maior torcida do país. Crises são fomentadas a cada pequeno problema, erros de arbitragem são superdimensionados quando envolvem suposto benefício ao time rubro-negro.
Em compensação, o time do Tietê é sempre protegido, nos últimos anos foi gestado por figuras envolvidas em uma infinidade de escândalos, Kia Joorabchian, Andrés Sanches, Alberto Dualib metidos em lavagem de dinheiro no exterior, sonegação ao fisco, arbitragens facciosas principalmente no Brasileiro ganho em 2005, pagamento pelo clube de quantia elevada, ( 15 milhões de Reais ) para livrar o ex Presidente Andrés Sanches de ação penal por sonegação movida pela Receita Federal. Recentemente, obtiveram o benefício da redução drástica da pena imposta pelo STJD ao atleta Petros, que agredira um arbitro neste atual campeonato, de seis meses para insignificantes três jogos, um precedente altamente perigoso. Não podemos esquecer o uso do erário público federal, ganharam um estádio num puro e deslavado tráfico de influencia em parceria com o Governo Lula, tudo isso com o beneplácito da Grande Mídia.
O interesse maior em tentarem inflar o chamado "timão" como o mais popular do país, está em que o Estado de São Paulo é o mais pujante da federação em termos econômicos, o poder aquisitivo é maior e oferece os maiores lucros, não somente na capital, como no poderoso interior. Assim sendo, ter neste mercado, o clube com status de maior torcida do Brasil, seria mais um substancial ingrediente aos interesses monetários dos ambiciosos donos destas Mídias e seus clientes.
Cabe ao Flamengo montar bons times, que consigam através de suas glórias, minimizarem estas tentativas de fraude, um time com ídolos, obtendo significativos títulos nacionais e internacionais. A recente estada do Rubro-negro em terras cuiabanas, demonstraram mais uma vez a nossa força extraordinária, as quebras de recordes, mesmo com o time em situação difícil também. Todavia, é preciso regar a planta...

 

Fla x Gambás: Depois de duas derrotas temos que continuar a vigília contra a CONFUSÃO, teremos mais um jogo difícil pela frente, a vitória seria mais do que o ideal, mas não podemos repetir os erros do jogo passado contra o Goiás. Nossas limitações continuam, conviveremos com elas até ao final do campeonato. Marcação serrada no meio-campo, cautela sem querer ganhar a todo custo. Teremos a volta do Cáceres, com sua tradicional garra e suas limitações na entrega da bola, mas achamos que ganhamos maior consistência na proteção a defesa. Esperamos um Marcelo menos afobado e rifador de bola, também que o Luxa guarde o Eduardo da Silva para o segundo tempo. No mais, a luta de sempre, com auxílio luxuoso da MAGNÉTICA e a imposição de jogarmos em casa. Antes de qualquer coisa... Pontuar é preciso!!!

 

Histórias Rubro-Negro

Em 1978, fizemos um primeiro semestre com altos e baixos, não contamos com Zico, Toninho e o treinador Claudio Coutinho servindo a seleção que se preparava para a Copa do Mundo na Argentina. Para o segundo semestre, contratamos o experiente goleiro Raul do Cruzeiro, também veio do time estrelado o atacante Eli Carlos, do rival Atlético contratamos o promissor meia Cleber e o atacante Marcinho. Logo no limiar daquele segundo semestre encaramos uma excursão a Europa, sem Zico que se recuperava de uma violenta distensão muscular que lhe tirou da Copa.  Disputamos o Torneio Palma de Mallorca, no primeiro jogo ganhamos do Rayo Vallencano por 2 x 1 gols de Júnior e Cléber, na decisão contra o poderoso Real Madrid de Stilic, Juanito, logo aos 3 minutos tivemos um gol anulado injustamente pelo arbitro espanhol Alscua Sainz, porém Eli Carlos abriu o placar aos 9 minutos, o Flamengo a base de toque de bola envolvia o time madrilenho e aos 38 minutos marcou seu segundo gol através de Cléber.A torcida presente ao estádio aplaudia calorosamente a atuação rubro-negra. No segundo tempo, aos 9 minutos o arbitro inventou um pênalti convertido pelo meia Aguillar, houveram reclamações e Eli Carlos foi expulso, no mesmo momento exibe cartões amarelos a Tita, Manguito, Júnior e C.Adão, ato contínuo também expulsa o lateral Toninho, o Flamengo joga com nove jogadores, o time do Real vem com tudo pra cima do Rubro-Negro e Raul consegue operar milagres, três defesas portentosas, aos 25 minutos o tresloucado arbitro também expulsa o meia Cléber, ficamos com oito homens em campo, mais defesas improváveis de Raul, a torcida vaia o arbitro e o Real Madrid, ovaciona cada toque de bola rubro-negro, o Real continua pressionado, injustificáveis seis minutos de acréscimos são computados ao jogo e finalmente aos 51 minutos a "batalha" é encerrada. O Flamengo é o grande campeão, o arbitro saí do campo abaixo de vaias, o Real Madrid se rende ao heroísmo do Flamengo que recebe o troféu sob frenéticos aplausos da torcida presente ao Estádio Luis Sitjar em Palma de Mallorca, um público de 20 mil pessoas. Atuamos com Raul, Toninho, Manguito, Nelson e Júnior, Carpeggiani, Adílio e Cleber, Tita, C.Adão e Eli Carlos. Ramires ao final substituiu o ameaçado de expulsão Tita...

SRN


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.