Prefeito ajuda Flamengo a jogar no Engenhão

Prefeito ajuda Flamengo a jogar no Engenhão

O presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, não garantiu que a entidade devolverá o Maracanã antes do prazo de 30 de outubro para que o estádio seja usado para os jogos de futebol do Campeonato Brasileiro. Ele também não comentou sobre um possível gasto no gramado por causa da realização das cerimônias dos Jogos de 2016. Ele lamentou que seja difícil atender à demanda dos clubes do Rio, principalmente Flamengo e Fluminense, para a utilização do Maracanã antes do previsto.

— A responsabilidade do Comitê Organizador é devolver o Maracanã como estava. E para fazer as quatro cerimônias que fizemos, foram necessárias várias modificações, questão de luz, som, alta tecnologia que foi utilizada, fogos, tudo isso conectado com música. Nosso objetivo é fazer o maior esforço possível. Já tivemos o pedido feito pelos clubes. Mas o mais importante é que possamos entregar e queremos fazer poder atender aos clubes, mas garantir isso hoje é impossível — afirmou Nuzman, em coletiva nesta segunda-feira.

Assim, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, comentou que iria costurar um acordo com o Botafogo para que o Flamengo jogue no Engenhão.

Segundo o prefeito, o Engenhão já passou ao Botafogo nesta segunda-feira.

— O estádio do Engenhão passa hoje para o Botafogo, que já está acompanhando a desmobilização. O estádio é uma concessão da Prefeitura feita em 2007, após os Jogos Panamericanos, ao Botafogo. Há um pleito do Flamengo, se o Maracanã não for possível, para jogar no Engenhão. Liguei pessoalmente para o presidente do Botafogo para que não crie obstáculo a essa possibilidade para jogar no Engenhão, afinal de contas o Flamengo está perto da liderança do campeonato — afirmou Paes.

O Flamengo chegou a pedir ao Ministério do Esporte para usar a estrutura de Deodoro, montada para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. É que o clube tem usado, na grande maioria das vezes, o Estádio Kleber Andrade, em Vitória (ES), longe da sua torcida.