| Futebol

Preparador físico Daniel Gonçalves fala sobre o trabalho de condicionamento realizado no CEP FLA

Com o fôlego em dia, atletas rubro-negros têm atuação intensa até os últimos momentos do jogo de estreia da temporada

flameng - Preparador físico Daniel Gonçalves fala sobre o trabalho de condicionamento realizado no CEP FLA

Foto: Gilvan de Souza

O início não poderia ter sido melhor. Na primeira partida oficial em 2017, o Mais Querido aplicou uma goleada de 4 a 1 na equipe do Boavista pela estreia rubro-negra no Campeonato Carioca. Com dois gols de Guerrero, um do estreante Miguel Trauco, e com Diego fechando o placar, a equipe de uma amostra de seu potencial técnico e do entrosamento, que vem em uma crescente desde a temporada passada. No entanto, outro aspecto chamou ainda mais a atenção. A performance rubro-negra teve grande intensidade até os últimos minutos de jogo.
Durante toda a pré-temporada, com treinos em período integral no Ninho do Urubu, o foco na preparação física foi enorme. Através do trabalho dos preparadores Daniel Gonçalves e Marcelo Martorelli, aliados aos conhecimentos do consultor da EXOS, o norte-americano Michael Minthorne, os atletas iniciaram o ano demonstrando em campo o trabalho realizado no Centro de Excelência em Performance do Flamengo (CEP FLA). Todo esse trabalho rendeu elogios por parte do meia Diego, que enalteceu o desempenho da equipe após o fim da partida na Arena das Dunas.

Daniel Gonçalves, um dos profissionais envolvidos nesta preparação, teceu alguns comentários sobre o trabalho feito. Durante o papo, o preparador físico comentou sobre o foco das atividades realizadas tanto no CEP quanto no gramado dos campos do CT antes de cada treino com bola.

"Temos uma resposabilidade de preparar o atleta não somente para o primeiro jogo do ano, mas para uma sequência que o Flamengo terá, com três competições já no primeiro semestre, que são o Carioca, a Primeira Liga e a Libertadores. Uma exigência ainda maior se iniciará a partir do dia 8 de março, no jogo contra o San Lorenzo", comentou Daniel, referindo-se ao jogo de estreia do Mais Querido pela Libertadores. 
Em seguida, ele fala sobre os trabalhos feitos especificamente para o confronto do último sábado (27), contra o Boavista. "O que fizemos foi explorar bem a pré-temporada. Obviamente os atletas ainda não estão no ápice, ainda há etapas a cumprir. A diferença foi que, para esse jogo contra o Boavista, soltamos mais o time. Diminuímos a carga de treinamento na quinta e na sexta-feira, com o objetivo de ter os atletas bem recuperados", disse, relembrando a sequência forte que vinha sendo imprimida nos dias que precederam a partida. "Nas ocasiões anteriores, principalmente antes do jogo contra o Vila Nova, vínhamos em um volume grande de treinos com intensidade elevada. Mesmo sabendo que o Flamengo entra em quaisquer jogos para vencer, estávamos focando mais a questão física naquele momento", completou.

A compreensão do elenco para que todo esse trabalho tenha o efeito desejado também é fundamental, como frisa o preparador. "A intensidade no último jogo se deveu à conscientização dos atletas, pois eles se portaram bem durante todo o período de pré-temporada. Eles fizeram tudo aquilo que foi estabelecido, principalmente no que diz respeito à execução das estratégias passadas pelo professor Zé Ricardo, que visou a manutenção da posse de bola e fez com que o time tivesse menor desgaste através disso. Consequentemente, nos minutos finais os atletas ainda tiveram fôlego para suportarem a partida em uma intensidade adequada", elogiou Daniel.

De olho na conquista da América, a rotina de exercícios prevê o condicionamento físico do grupo próximo do ideal para a estreia pela competição continental. "O objetivo é chegar em março com uma condição bem próxima à ideal, mas ainda em fase ascendente. Visamos o auge dos atletas próximo ao término desse mês, a fim de suportar todas as competições em disputa" disse Daniel, que fez um parâmetro com relação ao atual momento da equipe. "Neste período de fevereiro, ainda há etapas a cumprir buscando aquisições de ordem física e de desenvolvimento. À medida que os jogos forem passando, eles estarão gradativamente melhor condicionados", explicou.

O preparador físico também falou sobre o período no qual o grupo alcançará seu auge, com as competições mais longas do ano em vista. Daniel explica o princípio que rege a definição do plano de trabalho. "Nós estabelecemos a condição física pelo tempo de atividade e inatividade do atleta. Baseado no treinamento realizado nas férias, que chamamos de período de transição, e em toda a pré-temporada, fazemos os cálculos para que esses atletas atinjam o ápice por volta do mês de abril, independentemente da competição em disputa", disse.

A harmonia entre os aspectos técnico, físico e psicológico definem o sucesso de uma equipe. Com estes princípios funcionando em capacidade plena, o desempenho no gramado tende a ser o ideal. Os profissionais do Centro de Excelência em Performance do Flamengo trabalham com um objetivo em mente: o sucesso do Mais Querido.

"Temos a grande responsabilidade de representar o Flamengo da melhor maneira possível em qualquer jogo e é isso que norteia nosso trabalho", encerrou Daniel.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/24797/preparador-fisico-daniel-goncalves-fala-sobre-o-trabalho-de-condicionamento-realizado-no-cep-fla

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.