| Futebol

Presidente conversa com sócios do Flamengo

Eduardo Bandeira de Mello se reúne com associados do Mais Querido

Na noite da última quinta-feira (05.03), associados do Clube de Regatas do Flamengo se reuniram com Eduardo Bandeira de Mello em mais uma edição do "Papo com o Presidente". Durante algumas horas, os rubro-negros esclareceram dúvidas e participaram de um papo franco e descontraído sobre as melhorias que estão sendo feitas nos esportes profissionais do clube e na Sede da Gávea. "É importante prestar contas e saber o que o sócio está pensando. Essas reuniões são tão importantes que várias sugestões que foram formuladas em encontros anteriores, já foram implementadas. Logo, é bom para os dois lados", disse o Presidente Eduardo Bandeira de Mello sobre o encontro.

O bate-papo contou também com presença de Bernardo Accioly, diretor executivo jurídico do clube, e de Miguel Fernandez, diretor executivo do Fla-Gávea, que esclareceram para os sócios presentes dúvidas específicas de suas pastas. Cerca de 30 rubro-negros que participaram do bate-papo saíram bastante empolgados e satisfeitos com aquilo que ouviram. Leandro de Souza Barros fez coro ao Presidente reforçando a importância destas conversas. "O sócio só tem a ganhar com encontros como estes. Eles servem para evidenciar uma transparência, que já é característica desta administração, além de ter a oportunidade de discutir novas propostas e o que está acontecendo na Gávea. A gente cria a esperança de ter um clube ainda melhor no futuro", falou o sócio.

Confira alguns dos temas mais importantes debatidos na noite desta quinta-feira: 

O que tem sido feito na base do futebol:
As principais glorias que tivemos no Flamengo foram conquistadas com craques formados em casa. Isso era uma competência que tínhamos. Mas, de lá pra cá, muita coisa mudou. Nesse meio tempo outros clubes souberam se tornar bons nisso e nós ficamos parados por conta de administrações que deterioraram o setor. 

Quando chegamos aqui, não tínhamos uma estrutura digna para os jovens trabalharem. Agora, estamos buscando retomar aquilo em que já fomos realmente bons. Estamos buscando voltar a ser um clube de vanguarda, mas isso é algo a se colher em cinco, seis anos. Estamos trabalhando pesado nisso, com grandes planos e esperanças de um futuro de sucesso. A melhoria do CT é um ponto deste processo, mas procurar jogadores, viajar pra estudarmos outras filosofias de trabalho, também fazem parte disso. Nosso sub-15 é um grande exemplo que já começa a mostrar resultados.

Programa Nação Rubro-Negra:
Estamos trabalhando em novidades para incrementar o programa que já começarão a ser notados nos próximos meses. Aprendemos bastante em nossa visita ao Benfica, e temos nos inspirado neles e em outros cases de sucesso para alcançarmos o patamar que nos é condizente. Estamos tentando identificar pontos que nos façam crescer ainda mais. Está tudo sendo muito bem estudado. Mesmo com outros programas a nossa frente, nosso rendimento financeiro ainda é muito maior do que boa parte deles.

Prestação de contas do sócio-torcedor:
Todas as verbas de captação entram para as receitas do clube que são usadas para pagamento de nossas contas. O futebol é 90% do orçamento total. Usamos todo o dinheiro do ST nisso e muito mais.

Dívida:
R$18,75... Se cada um dos 40 milhões de torcedores depositasse esse valor nas contas do Flamengo, não teríamos mais dividas, mas não podemos colocar isso nas costas do torcedor assim. Desde o começo de nossa administração tivemos que fazer ajustes. Dispensamos alguns atletas caros dos esportes olímpicos e do futebol, conseguimos a lei de incentivo fiscal e temos contado com o torcedor para mudarmos a situação com o sócio-torcedor e outros programas que nos ajudam muito. E já estamos sendo reconhecidos pelo nosso trabalho. A nossa dívida caiu consideravelmente, tudo para caminhar na direção do futuro que merecemos.

Leis que implicam em punições por não pagamento em dia:
Queremos que leis como estas vigorem o quanto antes possível para acabarmos com uma briga desigual. Hoje, somos bons pagadores e brigamos com clubes que não cumprem seus compromissos. Essa lei está para ser avaliada em regime de urgência, e pode ser votada ainda na semana que vem. Caso o resultado seja positivo, seguiremos para o senado e aí por diante. Conhecemos o processo legislativo e o quão complicado pode ser.

Mudança de administração:
Estamos mobilizados para não deixar que a má administração volte ao Flamengo. Faremos de tudo, e só depende de nós ficarmos alertas para continuarmos fazendo bem nosso trabalho.

Reforma da piscina:
(Miguel Hernandez) A inauguração acontecerá no segundo semestre e as obras começam em duas ou três semanas. Será a mais moderna do rio, padrão olímpico, e não nos custará nada. Teremos apoio da Lei Pelé, Lei de Incentivo ao Esporte e de comitês.

Campo society:
(Miguel Hernandez) Estamos assinando contrato amanha. Trocaremos todo o gramado. Com tratamento de solo, nivelamento e amortecimento. A grama boa vai para o parquinho e o resto para o lixo. Antes de fazermos tudo, pesquisamos muito. A empresa disse que é um absurdo o que foi feito, que em dois anos tudo acabou. O novo contrato nos dá a garantia de cinco anos do campo e propõe uma vida útil de dez.

Estádio:
Temos o plano de um estádio para 15, 20 mil pessoas. A associação de moradores não tem nada contra, precisamos atrair investidores para tocar o projeto. Ele não seria o substituto do Maracanã, mas trabalharia em paralelo.

FERJ:
Estamos rompidos com a FERJ por tudo aquilo que aconteceu. Estamos disputando o Campeonato Carioca sob protesto, mas buscando alternativas para mudar as situações que não nos parecem certas. Queremos mudar isso em 2016. Não temos detalhes a passar, mas estamos avaliando possibilidades.

Retorno do mata-mata no Campeonato Brasileiro:
Não existe essa conversa.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20615/presidente-conversa-com-socios-do-flamengo

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.