O artigo prega a inclusão dos clubes,  não só no colégio eleitoral da entidade responsável pelo futebol, mas também na assembléia administrativa. Para o presidente do Flamengo, um decreto de lei resolveria o problema e deixaria claro o que o artigo está apontando. Mello diz ter participado  da construção da lei e que, no seu entendimento, os clubes têm que participar da assembleia.

O artigo 22 deixa claro ao dizer que os processos eleitorais asseguram: "colégio eleitoral constituído de todos os filiados no gozo de seus direitos". Além disso a lei ainda prevê "defesa prévia, em caso de impugnação, do direito de participar da eleição", o que dá total direito dos clubes reagirem judicialmente.

Segundo o presidente rubro-negro, o assunto foi discutido na reunião ocorrida em São Paulo, na última sexta-feira. Presidentes de clubes como Atlético-PR, Coritiba, Fluminense, Bahia e Atlético-MG se reuniram pra discutir esse assunto e alguns outros temas.