| Futebol

Presidente do Fluminense quer anular clássico contra o Flamengo

Dirigente reclama de interferência externa em lance de gol anulado

A polêmica arbitragem de Sandro Meira Ricci no Fla-Flu em Volta Redonda revoltou os dirigentes do Fluminense. O presidente tricolor, Peter Siemsen, avisou que vai entrar com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo a anulação do clássico. O dirigente argumenta que houve interferência externa no lance do gol anulado de Henrique no segundo tempo.

TABELA: Jogos e classificação da Série A

No momento do lance, o Flamengo vencia a partida por 2 a 1. Aos 39 minutos do segundo tempo, uma bola levantada por Gustavo Scarpa na área foi completada de cabeça para o gol, empatando a partida. Imediatamente, o auxiliar Emerson Augusto de Carvalho marcou corretamente o impedimento do zagueiro. Mas contrariando a decisão de Emerson, Sandro Meira Ricci validou o gol.

Foi quando começou toda a confusão. Os atletas do Flamengo reclamaram e a partida ficou paralisada por 13 minutos. Quando foi retomada, o árbitro mais uma vez voltou atrás e anulou o gol tricolor. Foi a vez então dos tricolores reclamarem da decisão e acusarem a arbitragem de ter usado imagens da TV para tomar a decisão. O recurso é proibido pela Fifa.

- Eu sou o maior defensor do uso do vídeo no futebol brasileiro. Porém, no momento, ele é irregular. A regra é igual para todos e, neste jogo, não foi. Esse jogo, para mim, tem de ser anulado. Vamos tomar todas as medidas. Vamos pedir a anulação da partida - disse o dirigente tricolor, em entrevista à Rádio Tupi.

Siemsen ainda reclamou que no lance do primeiro gol rubro-negro marcado por Leandro Damião, o zagueiro Réver estava em posição de impedimento.

- É uma bagunça. Além de prejudicar o Fluminense no primeiro gol do Fla, no qual Réver está impedido e atrapalha a saída do nosso goleiro, houve essa lambança. Ficou clara que o juiz usou a interferência externa. Hoje isso é irregular. O juiz demorou 13 minutos, permitiu a entrada de pessoas estranhas ao campo. Conversou com o delegado do jogo. Ele postergou a decisão. Não tenho dúvida que ele recebeu informação externa e anulou o gol. Ele validou o gol inicialmente, aí ia correr para o meio do campo. Ele usou a interferência externa. Depois, não deu o tempo correto de acréscimo. Ele desestabilizou o Fluminense.

BANDEIRA: LANCE FOI ILEGAL

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello disse que não acredita que o jogo vá parar no tribunal. Para o dirigente rubro-negro, o lance foi claramente ilegal.

- Não houve nada disso (interferência externa). Eu até estou achando que os dirigentes do Fluminense vão pensar bem e não vão querer se beneficiar de um lance que foi claramente ilegal - disse o dirigente.

Já o técnico Zé Ricardo lamentou que o clássico tenha sido decidido num lance cercado de tanta polêmica. Embora ele tenha considerado a decisão correta, pois Henrique estava impedido.

- Sobre o lance, fiquei conversando com o Levir ali do lado dele. O bandeira parece que só confirmou o que ele tinha marcado, o impedimento. Depois, com pressão do Fluminense, Henrique e mais um ou dois jogadores, ele voltou atrás. Mas na minha visão, a justiça foi feita. Mas é ruim, porque uma situação dessa tumultua o espetáculo.

BANCO DO FLA AVISOU DE IMPEDIMENTO

Os jogadores rubro-negros reconheceram que tiveram a informação do banco do Flamengo de que Henrique estava impedido. Por isso, correram para reclamar.

- De fato a gente teve a informação. Foi estranho porque ele deu o impedimento primeiro depois voltou atrás. Mas a gente tem que ressaltar a coragem do árbitro e do assistente. Estava todo mundo impedido. A gente tava ali, não sabia. O banco saiu correndo e falou que estava realmente impedido - disse o volante William Arão.

Do lado tricolor, a revolta foi muito grande Tanto que não houve entrevista coletiva após a partida. Apenas o diretor executivo, Jorge Macedo, falou. E reclamou dos dois lances: o impedimento de Réver no primeiro gol rubro-negro e o que considerou uma interferência externa no gol de empate tricolor.

- Foi muito estranho o que aconteceu. O primeiro gol do Flamengo... o Réver estava impedido e desloca o nosso goleiro. Os atletas do Fluminense conversam com o bandeira, e o árbitro não pega a opinião de ninguém e valida o gol. Estranhamente, no nosso gol, o bandeira dá impedimento. Os atletas vão falar com ele. Ele achava que o gol era do Cícero. Ele pergunta ao árbitro: "Quem fez o gol?" O Sandro diz que foi o Henrique. O gol é validado. Os jogadores do Flamengo saem. E voltam logo depois pois ouvem uma interferência externa. O quarto árbitro e o delegado também aparecem. Todos dizem que a televisão mostrava o impedimento. Depois de muito tempo, o árbitro anula o lance. Então, uma interferência bruta. Essa regra ainda não está apta no futebol. Todo mundo solicita isso. Mas hoje essa interferência causou prejuízo muito grande ao Fluminense.

Questionado se o árbitro confirmou aos jogadores que havia tomado a decisão por conta das imagens da TV, o dirigente disse que sim.

- Sim, falou aos atletas.

Com a derrota, o time tricolor caiu para a sexta posição na tabela com 46 pontos. O Flu está no limite da zona de classificação para a Copa Libertadores do ano que vem. Já o Flamengo encostou no Palmeiras. A diferença para o líder agora é de apenas um ponto faltando oito rodadas para o fim do campeonato.

Fonte: http://oglobo.globo.com/esportes/presidente-do-fluminense-quer-anular-classico-contra-flamengo-20287875

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.