Isso porque, o Santos entrou na jogada e passou a pressionar os chineses do Tianjin Quanjian. Ao vender a joia, o Peixe estipulou uma cláusula de exclusividade num eventual retorno seu ao Brasil. Como não foi respeitada, agora a diretoria santista busca o pagamento da multa de 500 mil euros ao clube asiático.

Dessa forma, os chineses vêm se sentindo receosos com a situação e seguem hesitando em liberar a documentação para concretizar o repasse de Geuvânio ao Rubro-Negro. Recentemente, ​o Fla divulgou nota mostrando-se indignado com o imbróglio, prometendo tomar as medidas cabíveis caso nada mude nos próximos dias. Para ajudar no desenrolar do processo, um advogado já foi acionado.