Antes vistas constantemente, as brincadeiras de “cheirinho de hepta” e “aeroFla” deram lugar a protestos em desembarque e a cobranças por parte da torcida. O alvo principal: claro, o técnico Zé Ricardo. Para muitos, é incompreensível o fato de uma equipe repleta de nomes consagrados não deslanchar. Por isso, a culpa recai sobre o comandante.

Internamente, ele também não é unanimidade, mas conta com a apreciação do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Se dependesse dele, o técnico só deixaria o cargo se não resistisse à pressão e entregasse o boné. Porém, pode ser convencido a qualquer momento de que uma troca é o melhor caminho. Neste domingo, o Fla recebe o Vitória na Ilha do Urubu. O clube baiano vem de um empate sem gols com o Cruzeiro no Mineirão e de vitória por 3 a 1 sobre a Ponte Preta, em casa. Se não ganhar, a coisa promete esquentar ainda mais...