PVC: “A noite dos rejeitados”

PVC: “A noite dos rejeitados”

Éverton Ribeiro fez de tudo no Maracanã. Deu chapéu, desarmou, construiu jogadas, marcou o gol da vitória. Da classificação. Depois de oito anos, o Flamengo está de novo nas oitavas-de-final da Libertadores. Foi em 21 de abril de 2010 a última vez em que o Flamengo conquistou a vaga nas oitavas, antes das eliminações de 2012, 2014 e 2017.

Borja fez de tudo no Allianz Parque. Ou melhor, não precisava fazer tudo, porque marcou três vezes. Numa única partida, foi sua primeira vez assim. Para se ter uma ideia da importância de seu feito, ano passado inteiro foram 10 gols. Agora, ele já tem 14, goleador do Palmeiras no ano.

Sim, é claro. Assim com o Atlético Mineiro dirigido por Roger Machado em 2017, o Palmeiras também pode ter confirmado a melhor campanha na fase de grupos para depois ser eliminado no mata-mata. Mas a comparação do Palmeiras com o Palmeiras é mais forte. Ano passado, também com investimento forte, foi apenas a quinta melhor campanha.

Classificar-se para as oitavas-de-final está distante de ser o objetivo definitivo. Mas é preciso entender as etapas. Ninguém será campeão da Libertadores em maio. A eliminação do Flamengo para o Botafogo, as três derrotas para o Corinthians no ano, no caso do Palmeiras… Tudo isso tem peso, exige trabalho para consertar.

Mas não significa que se tenha que destruir tudo.

Nem mandar Borja embora.

Nem abrir mão de Éverton Ribeiro, o melhor em campo no jogo da classificação para as oitavas-de-final.

Quarta-feira, 16/maio/2018
FLAMENGO 1 x 0 EMELEC – 21h45

Local: Maracanã (Rio de Janeiro); Juiz: Diego Haro (Peru); Renda: R$ 2.779.990; Público: 36.754 (40.390); Gols: Éverton Ribeiro 3, Éverton Ribeiro (falta) 47 do 2º; Cartão amarelo: Preciado (33’)
FLAMENGO: 1. Diego Alves (6,5), 2. Rodinei (6), 15. Réver (6), 4. Juan (5,5) (23. Léo Duarte 46 do 1º (6)) e 6. Renê (6,5); 8. Cuellar (8); 7. Éverton Ribeiro (8), 10. Diego (6) (14. Jonas 42 do 2º (sem nota)), 11. Lucas Paquetá (7) e 20. Vinícius Júnior (6,5); 19. Henrique Dourado (6) (17. Marlos Moreno 36 do 2º (sem nota)). Técnico: Maurício Barbiéri
Banco: 12. César, 26. Léo Duarte, 13. Trauco, 14. Jonas, 23. Geuvânio, 17. Marlos Moreno, 29. Lincoln
EMELEC: 12. Dreer (5,5), 14. Juan Carlos Paredes (5,5), 26. Mejía (6), 28. Jordan Jaime (5) e 16. Bagui (5); 11. João Rojas (6) (7. Jefferson Montero 8 do 2º (5,5)), 5. Dixon Arroyo (5,5) (Burbano 44 do 2º (sem nota)), 30. Lastra (6) e 18. Preciado (5); 13. Orejuela (4) e 10. Matamoros (4) (22. Luna 7 do 2º (5)). Técnico: Alfredo Arias

Reprodução: Blog do PVC | Uol Esporte