| Futebol

QUEREMOS NOSSAS ARENAS

Vamos trabalhar IPHAN

 

Altas taxas cobradas no Maracanã, andarilho dentro do Rio de Janeiro para sediar jogos do basquete, uma vez no Tijuca, outra na Arena da Barra e algumas vezes no Maracanazinho. O certo é quem no basquete o Flamengo encontra uma casa e já até foi punido este ano pelo famigerado STJD por conta disso.

O Flamengo tem um dos projetos mais bonitos para uma Arena para 5 ou 6 mil pessoas em um dos lugares mais belos do Rio de Janeiro, inclusive com toda a verba para a sua construção, mas esbarramos em órgãos como o IPHAN do Rio de Janeiro (aquele mesmo que havia tombado a cobertura do Maracanã e mesmo assim liberou a sua demolição) e na prefeitura do Rio de Janeiro para começarmos a ter uma casa.

O Flamengo deu entrada no processo nº 01500.004398/2014-99 no IPHAN no dia 21 de outubro de 2014 e hoje faço a consulta no site e ainda está “em trâmite”. Só como comparação, a tramitação para demolir a cobertura do Maracanã (que foi tombado como Patrimônio Histórico), levou apenas 2 meses.

O Rio de Janeiro será a sede das Olimpíadas de 2016 e não permite a construção de mais uma arena que sediará jogos do atual Campeão Mundial de Basquete, uma arena nos moldes de todas as arenas da NBA. Moderna e que também contará com o Museu do Flamengo.

Claro que o Flamengo não quer só a Arena para o basquete, vôlei e futsal, ele quer também a sua Arena para o futebol. Uma Arena onde poderemos jogar sem nos preocupar com taxas, em dividir lucros e fazer da Gávea um verdadeiro caldeirão de fazer inveja até ao Boca Juniors.

Essa Arena teria a capacidade para 20, 25 mil pessoas, o que pode parecer pequeno para o tamanho do Flamengo, e realmente é. Mas para jogos menores o Flamengo poderia jogar lá, como exemplo o jogo Flamengo x Cabofriense teve um público de cerca 24 mil pessoas no Maracanã, e o estádio parecia vazio. Imaginem isso na Gávea, imaginem um jogo contra um Criciúma, Chapecoense na Gávea com 25 mil pessoas. Garanto que a renda na Gávea seria muito maior que a renda no Maracanã.

Mas para isso temos que convencer um prefeito vascaíno e um governador botafoguense, que estão sentados em cima dos projetos do Flamengo e ao mesmo tempo prejudicando a população do Rio de Janeiro, que pode ter mais opções de lazer, prejudicando os moradores da Gávea que terão seus imóveis valorizados e, claro, prejudicando o Flamengo que continuaria refém do consórcio Maracanã.

Mais acima coloquei o número do processo no IPHAN, recomendo que todos guardem esse número, acompanhem o processo e liguem no instituto e vamos cobrar uma posição desse pessoal.

FERJ e suas decisões

Ficou estabelecido que os clássico cariocas não teriam mandantes, e assim ocorreu no último domingo na partida entre Fluminense x Vasco, agora no jogo entre o Botafogo e Flamengo a federação determinou que o mando é do Botafogo, e não haverá descontos para os Sócios Torcedores do Flamengo na compra de ingresso, além disso, aquela comodidade de comprar o ingresso pela internet e carregar no cartão, esqueçam também, afinal de contas a Ferj busca sempre o melhor para você.

Obs. 1: o Flamengo conseguiu fazer o que o Felipão não fez: o torcedor ver o Brasil jogar no Maracanã.

Obs. 2: Último jogo oficial do Léo Moura, Maraca cheio e o adversário é o Botafogo? Acho que vou pro lado direito do Maraca vender lenço.

Obs. 3: Ecos de Botafogo (o bairro): VOLTA BROCADOR!!!

 

SRN!!!!!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.