‘Quero que meus jogadores tenham respeito aos adversários’, diz Carpegiani, do Flamengo

‘Quero que meus jogadores tenham respeito aos adversários’, diz Carpegiani, do Flamengo

O técnico do Flamengo, Paulo Cesar Carpegiani, foi sutil ao comentar a decisão do Botafogo de vetar o estádio Nilton Santos para a final da Taça Guanabara. Sem criticar ou incentivar a comemoração de Vinicius Júnior, que motivou o comportamento da diretoria rival, o treinador salientou que não incentiva que seus atletas menosprezem adversários em campo.

— Com 15 minutos do segundo tempo, a equipe começou a preservar a bola, tocar para o lado. A torcida gritou olé. E eu não gostei daquilo. Eu não gosto daquilo — afirmou, antes de lembrar que cobrou que os atletas jogassem para frente e buscassem mais gols.

Carpegiani recordou que Vinicius comemorou junto à torcida do Flamengo, mas acabou indo na direção do banco do Botafogo.

— Um menino, tomou aquela posição, foi para nossa torcida, mas ali estava o banco do adversário. Coincidência. Mas não quero julgar. As pessoas que tomam essas medidas tem que ser as responsáveis. Quero que meus jogadores tenham respeito aos adversários em qualquer circunstância — disse o comandante.

Em campo, Carpegiani esboçou praticamente o mesmo time que venceu o Botafogo para encarar o Boavista. As novidades foram a participação do zagueiro Rhodolfo no lugar de Juan, que faz reforço muscular. E do goleiro Diego Alves em plena atividade. O treinador não confirmou o retorno de Alves ao time no domingo, e disse confiar em César. Sobre a final em Cariacica, tratou com ceticismo.

— É um campeonato bastante estranho, né. Não vejo com bons olhos. Mas chegaram a essa conclusão e vamos jogar — finalizou.