| Futebol

Raça, amor e paixão: do Fortaleza para o Flamengo, Ronaldo Angelim

Autor do gol do Hexa, zagueiro conquistou os rubro-negros pela dedicação ao Manto

Gilvan de Souza / Flamengo

Gilvan de Souza / Flamengo

Sem pensar muito, talvez o dia 23 de dezembro de 2005 não traga uma lembrança viva para o torcedor rubro-negro. Contudo, o dia 6 do mesmo mês, mas no ano de 2009, é inesquecível. Domingo, Maracanã tomado pela Nação. Quem viu Ronaldo Angelim subir, cabecear e eternizar um legado de raça e dedicação ao Manto Sagrado, jamais esquecerá. O 6, do Hexa, nasceu no 23, emblemático. Chegava do Fortaleza, um zagueiro consagrado por lá, para fazer história por aqui.

Nascido em 26 de novembro de 1975, Angelim veio ao mundo com sina de batalhador. Enquanto trilhava os primeiros passos no futebol profissional, ganhava a vida e o sustento como padeiro e cavador de poços. Com ele, a companhia do Manto Sagrado, paixão maior desde a infância. Tardio no mundo da bola, chegou ao Icasa-CE aos 20 anos de idade. 

"No começo eu trabalhava mais cavando poço e entregando pão do que jogando bola. Era o que me dava mais dinheiro. Eu tirava R$ 100 por mês cavando poço e R$ 80 no Icasa", disse Angelim em entrevista ao globoesporte.com, ano passado, ao completar 40 anos.

Icasa-CE, Juazeiro-CE, Ceará e Ituano-SP serviram de caminho para o "Magro de Aço" chegar ao Fortaleza, em 2001. Vestindo a camisa do tricolor cearense, adversário rubro-negro nesta quarta, 21:45, pela Copa do Brasil, Angelim deu sinais que defender e destruir os ataques adversários não resumiriam sua carreira. O poder decisivo do zagueiro apareceu na rodada final da Série B 2004. Precisando vencer por dois gols de diferença, o Fortaleza renasceu para a elite nacional com o gol do iluminado zagueiro, faltando 15 minutos para o final da partida. 

E foi no ano seguinte, durante o Campeonato Brasileiro de 2005, que o Flamengo conheceu Angelim. O zagueiro, em contrapartida, já constuira uma história de superação e conservava intimidade com o Manto.  A parceria tinha prenúncio de sucesso, cara de Flamengo e coração não só dele, mas de 40 milhões.

Tal qual em todos os momentos de sua vida, Angelim enfrentou dificuldades para se firmar na equipe titular. Jamais desistiu. O trabalho, pouco a pouco, seria exaltado.

"Eu me considero um torcedor, jogo com a alma. Procuro jogar com raça porque sou rubro-negro desde criancinha e o mínimo que posso fazer é correr quando entro em campo", disse o autor do gol do Hexa, logo após a conquista.
R
elembre a vitória contra o Grêmio que deu o Hexa ao Flamengo



Ronaldo Angelim vestiu o Manto em 285 oportunidades e marcou 17 gols. Estreou contra o Americano, em 02 de fevereiro de 2006. O Mengão venceu por 4 a 2 em jogo válido pelo Campeonato Carioca, com direito a gol do "Magro de Aço". O zagueiro se despediu do rubro-negro em 13 de novembro de 2011, contra o Coritiba, em partida do Campeonato Brasileiro daquele ano.

Ano passado, Angelim foi homenageado pela diretoria do Clube de Regatas do Flamengo na partida contra o Grêmio.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/23316/raca-amor-e-paixao-do-fortaleza-para-o-flamengo-ronaldo-angelim

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.