| Futebol

Reforços pela Libertadores e pelo Brasileirão

flameng - Reforços pela Libertadores e pelo Brasileirão

Após quatro meses de trabalho do técnico Zé Ricardo em 2017, com a utilização de vários jogadores, incluindo os vindos da base e os reforços mais recentes, exceto Conca, já é possível perceber as qualidades e as carências do atual elenco que buscará o Bicampeonato da Taça Libertadores da América, o Heptacampeonato Brasileiro e o Tetracampeonato da Copa do Brasil.

Na semana passada, o ídolo Zico e o ex-jogador Bebeto identificaram que o Flamengo precisa de mais algumas contratações para fechar um plantel muito forte visando vencer as espinhosas competições supracitadas, sendo que o Presidente Eduardo Bandeira de Mello, em entrevista após o título contra o Fluminense, deixou em aberto a possível chegada de pontuais reforços, sendo Vinícius Júnior, finalmente integrado aos profissionais, o primeiro deles.

Particularmente, apesar de o técnico Zé Ricardo ter sido feliz em algumas improvisações nos últimos jogos do Carioca e da Copa Libertadores, concordo com a opinião de Zico e Bebeto, a qual, aliás, é a mesma da esmagadora maioria dos rubro-negros. Penso que o Flamengo tem um elenco muito melhor que os dos últimos anos, mas ainda carente de alguns ajustes e opções adicionais.

Passando à análise específica e lembrando que todo time campeão precisa de um grande goleiro, tenho sérias dúvidas se Alex Muralha tem arrojo, frieza e qualidade para segurar a pressão de grandes jogos, levando-nos a conquistas mais expressivas. É vacilante em saídas do gol e nunca pega pênalti. Enquetes recentes revelam que, mesmo após o título Carioca, mais de 70% dos torcedores não confiam nele como titular nas grandes competições, cabendo, então, a busca de outro goleiro, de preferência consagrado, para assumir a Camisa 1.

Nas laterais direita e esquerda, o Flamengo está bem servido de titulares e reservas.

Na zaga, a possível saída de Réver, os erros de Rafael Vaz, os seguidos problemas físicos de Donatti e a idade de Juan mostram que é necessária a contratação de, no mínimo, um grande zagueiro com certa experiência, e, se Zé Ricardo entender que Léo Duarte e Dener ainda não estão prontos, de outro que seja rápido e promissor. Particularmente, eu confio nos citados jovens de nossa base para suprir eventuais ausências dos titulares.

À frente da zaga, apesar de acreditar muito no garoto Ronaldo, o qual já merece mais oportunidades, e no próprio Cuéllar, como opção, acredito que seja fundamental a contratação de outro jogador que combine rapidez e alto poder de marcação, a exemplo de Márcio Araújo, aliado aos diferenciais técnicos que este jogador maranhense, apesar de esforçado, não possui, tornando-o alvo de muitos protestos de parte da torcida quando é escalado.

Não acredito que precisamos de contratações para as posições de segundo e terceiro homem de meio de campo, mas, quanto à armação, é necessário ficar atento ao breve período que Conca deve ficar na Gávea, ao menos em princípio, o que reforça a necessidade de trazer um craque do porte de Everton Ribeiro, pois percebemos o quanto Diego faz falta quando convocado para a Seleção Brasileira ou está contundido.

Registre-se, por sinal, que Ederson, apesar de vestir a 10, ainda é uma grande interrogação tanto para se afirmar no time quanto para ser útil como municiador do ataque. Matheus Sávio e Lucas Paquetá, da mesma posição, possuem qualidades, mas não é bom abusarmos da garotada em jogos altamente decisivos. Pode dar certo, mas podem ser queimados, como foi, por exemplo, o garoto Matheus, filho de Bebeto, em 2014.

Quanto ao ataque, não precisamos de centroavantes, pois Guerrero, Damião e Vizeu é um trio de respeito, que mistura experiência, faro de gol e juventude. Olhos abertos apenas à possível venda de Felipe Vizeu para um time português, aventada nas últimas semanas.

Todavia, para os lados do campo, os últimos jogos deixaram claro que Berrío, apesar de muito veloz, alto, raçudo e disciplinado taticamente, tem algumas limitações técnicas, sendo mais eficiente em jogos abertos e com viés de contra-ataque para o Mengão. Então, para que não vejamos mais o limitado Gabriel como titular – salvo se Vinícius Júnior se adaptar na função, sem sentir o peso dos profissionais – será importante a Diretoria trazer mais um jogador, rápido e técnico, para a beirada direita do campo, havendo opções no mercado nacional e internacional.

O Flamengo ainda não “nada em dinheiro”, mas já tem condições de correr atrás daqueles pontuais complementos que podem fazer uma enorme diferença na conquista das grandes competições nas quais as disputas são muito parelhas.

A Nação está contente com a conquista regional invicta, mas bastante ansiosa pela volta dos títulos de expressão, cabendo à Diretoria ser arguta e ambiciosa para que lá cheguemos o quanto antes!

Que mais conquistas venham neste ano! #VamosFlamengo

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/05/reforcos-pela-libertadores-e-pelo-brasileirao/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.