Renê comenta primeira partida no ano: "Não estava 100%, mas me senti bem"

Renê comenta primeira partida no ano: "Não estava 100%, mas me senti bem"

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Atuando pela primeira vez vestindo o Manto Sagrado em 2018, Renê teve uma apresentação consistente na vitória por 1 a 0 sobre a Cabofriense, na Ilha do Urubu. Ainda na busca pelas condições físicas ideais, o lateral-esquerdo analisou o próprio desempenho na partida, que viu o Mais Querido assumir a liderança do grupo B do Campeonato Carioca.

Quem sente o orgulho de ser sócio-torcedor faz o time mais forte e tem mais Flamengo sempre: descontos em ingressos e no pay-per-view, vídeos exclusivos para ficar por dentro, vantagens nas lojas oficiais para ter o Manto e outros produtos e muito mais. Clique e faça sua adesão agora!

"Não estava 100%, mas me senti bem. Deu para jogar o tempo que foi programado. Consegui correr bastante e ajudar. Ainda não estou no meu ideal, mas espero que na quarta-feira eu possa estar melhor e se o professor optar por mim, eu possa fazer um grande jogo e ajuda o Flamengo a conquistar a vitória", projetou.

Com oscilações em performance na última temporada, principalmente pela lesão que o afastou dos gramados por um longo período, Renê tem em mente que pode apresentar um futebol ainda melhor. A disputa sadia com Trauco pela vaga no onze inicial rubro-negro pela esquerda defensiva pode fazer com que ambos elevem ainda mais seus níveis de performance. O camisa 6 fez uma auto-avaliação sobre a carreira no Mais Querido até o momento.

"Sei do que sou capaz e que ainda não consegui jogar meu melhor futebol no Famengo. Quando eu pensava que teria uma sequência, acabei me machucando. Mas acontece, é do futebol. Espero que esse ano eu possa jogar meu melhor futebol e que o professor tenha duas opções importantes em mim e no Trauco", comentou Renê.

Apesar do resultado positivo conquistado, o lateral-esquerdo não se mostrou satisfeito com o desempenho da equipe, enfatizando os perigos oferecidos pela Cabofriense em determinados períodos da partida. Segundo o camisa 6, o técnico Paulo César Carpegiani também transmitiu o mesmo pensamento aos atletas, desejando uma melhor apresentação no próximo confronto.

"O que trabalhamos foi pressionar a equipe deles para não deixá-los jogar. Com muita movimentação e variações na frente. Acabamos deixando a equipe deles nos marcar e não os pressionamos. Foi isso que ele cobrou de nós após o jogo. Agora vamos descansar e trabalhar para vencermos o próximo jogo e convencer, que é o que ele espera de nós", disse o lateral, que completou. "A pressão existe sempre, mas a cada vez que vencemos, ganhamos confiança. Vamos nos entrosando mais. Sei que é importante vencer e convencer, mas caso não consigamos convencer, precisamos buscar a vitória, porque é importante. Espero que possamos manter essa pegada", concluiu.

Nessa quarta-feira (24), será a vez do Flamengo enfrentar a equipe do Bangu. A partida será disputada novamente na Ilha do Urubu, com bola rolando a partir das 19h30.